Destino O Casualidad

Brasil e México juntos mais uma vez. Imagina uma grande banda nacional e uma musa mexicana unidos pela música. Agora isso é realidade com “Destino O Casualidad” do Roupa Nova com Maite Perroni.

No clipe com direção de Dig – Jam, vemos a história de um casal que se conhecem ao acaso e se apaixonam perdidamente. As cenas foram gravadas no Rio de Janeiro.

Sobre a escolha de Maite a banda conta, “Procurávamos uma parceria internacional para esse novo projeto. Queríamos alguém que cantasse em espanhol, e a Maite é hoje um dos principais nomes no cenário musical, considerada uma das maiores artistas mexicanas do mundo”.

Por sua vez a cantora animada revelou “É um grande prazer e muita emoção em participar de uma música tão boa com uma das maiores bandas da história da música brasileira”.

A música é uma releitura do sucesso gravado e composto por Ramón Melendi Espina, compositor e cantor espanhol. As partes em português foram feitas pela banda.

Um Dia

Rosa de Saron lançou seu segundo single com novo vocalista. “Um Dia” chegou para tocar o seu coração e refletir sobre as coisas importantes da vida.

Gravado em São Paulo, inclusive no Viaduto do Chá, o novo clipe mostra situações que muitas vezes ignoramos. Preconceito, bullying e dificuldades de morar na rua aparecem no vídeo para mostrar que só o amor pode mudar o mundo.

A nova produção tem direção e roteiro de JC Nunes. E a música foi composta pelo vocalista, Bruno Faglioni.

A nova música do Rosa de Saron tem uma letra muito bonita e que nos faz ter muita esperança de que tudo pode melhorar, através do amor e da fé. Agora nos resta aguardar anciosos o novo álbum da banda pela Som Livre, ainda sem data de lançamento.

Rayando El Sol

A gente ama um bom clássico. Os mexicanos do Maná deram uma nova roupagem para o seu clássico “Rayando El Sol” com participação do espanhol Pablo Alborán

Além de ganhar um novo frescor, o hit ficou ainda mais delicado emocionante. E claro, ganhamos um clipe de presente.

A nova produção foi gravada na Espanha na cidade de Madri. Maná e Pablo andam por diversas ruas da cidade e finalmente chegam ao teatro El Principito, onde fãs puderam assistir à performance deles.

O mais bacana é que o novo projeto da banda, do qual a canção faz parte, reúne vários artistas de origens e países diferentes, que se unem a eles para revisitar sucessos do Maná. O quarteto viajou por diversos lugares para visitar os participantes do novo projeto.

Além das canções, poderemos conferir vídeos de cada música e acompanhar todo a experiência da maior banda mexicana dos últimos tempos.

A nova versão de “Rayando El Sol” com certeza vai ser um sucesso e em geral o coração de todos de amor. A voz de Pablo Alborán ficou em perfeita harmonia com o novo arranjo. E a voz do vocalista Fernando Olvera também. Inclusive ficou lindo as duas vozes juntas.

Movement – Definitive Edition

Sabe aquele grande clássico que nunca esquecermos? Assim é o primeiro disco da banda New Order. E não há maneira melhor de o celebrar do que uma edição mais que especial.

Já está nas plataformas digitais e em versão física “Movement – Definitive Edition” pela Warner Music.

O primeiro álbum deste grupo tão amado e suas oito faixas foram remasterizados e ainda de quebra ganhamos um presentão. Demos, mixagens alternativas e ensaios da banda. Ao todo ficamos com 26 faixas.

A banda nasceu derivada da Joy Division pelos íntegrantes restantes.

Originalmente este CD foi gravado entre 24 de Abril e 4 de Maio de 1981 e lançado no mesmo ano em 11 de Novembro pela Factory Records. A produção foi de Martin Hannett.

O Box digital da edição definitiva, mantém a mesma capa original. Bem icônica, ela foi desenhada por Peter Saville.

Um marco desses na história de uma banda, tão importante mundialmente como o New Order, é muito importante. E a celebração foi feita de uma forma muito bonita, cuidadosa e pensada para manter vivos esses sucessos tão clássicos e amados.

Sem dúvidas, o New Order vai sempre ser passado de geração em geração e ficará pra sempre nos corações de cada um, por diversas gerações e épocas.

2 e 1

Supercombo acaba de lançar o sensível clipe para o single “2 e 1”. Você vai se sensibilizar e curtir muito a canção.

O clipe gravado em São Paulo com direção de BAMA Duo, conta a história de pai e filha que apesar de morarem na mesma casa, vivem cada um em seu mundo sem nenhum diálogo. O desafio deles é mudar isso.

Participam da produção os atores Pedro Lopes e Giovanna Grigio (a Mili da segunda versão de ‘Chiquititas’).

Léo Ramos, o vocalista da banda contou um pouco sobre a música “Essa música fala desse nosso tempo, de estarmos divididos e ao mesmo nos sentindo sem uma direção certa pra onde seguir”.

Já o diretor conta sobre o conceito do clipe. “O clipe fala de pessoas que precisam se reconectar umas as outras, para acabar com a solidão. É um universo lúdico e real, onde muitas vezes estamos com várias pessoas a nossa volta e mesmo assim nos sentimos sozinhos”.

A faixa faz parte do novo álbum “Adeus, Aurora”. O lançamento acontecerá no final de Março.

Noite Inteira

Sabe quando não sabemos dizer o que é mais incrível, se a música ou o clipe? Essa é a sensação que Pitty nos dá com “Noite Inteira”.

O single que conta com a participação de Lazzo Matumbi, traz uma musicalidade rock latina e tem umm temática atual. Ela reflete a nossa sociedade de hoje em dia e na força que o nosso povo tem.

No vídeo com direção de Carlos Pedreañez, Pitty é transportada para o universo do desenho animado. A ilustração foi por conta de Paulo Pires. A animação é cheia de personalidade e de atitude, contando a história da música.

Pitty resume bem o espírito da nova música, “Fala do quanto podemos realizar quando estamos juntos com um objetivo em comum, e a responsabilidade que temos com os valores com os quais nos comprometemos. E que pode ser tanto uma manifestação na rua, como uma festa, um Carnaval. A gente se junta para fazer revolução, mas também para dançar, para trocar ideia”.

Sobre o seu parceiro musical a cantora conta “Lazzo é uma voz de resistência do movimento negro e que me remete a isso desde pequena. Ouvia ele cantando músicas muito fortes, revolucionárias, um canto de liberdade, além de ter um vozeirão inacreditável”.

E ela enfatiza a importância do dueto “Mesmo que a gente tenha caminhos musicais diferentes, nos encontramos no campo das ideias, foi uma honra para mim”.

A letra da canção foi feita pela Pitty junto ao baixista Gui Almeida e o guitarrista Martin. Ela faz parte de “Matriz”, novo álbum da rockeira com lançamento para Abril de 2019 pela Deck Disc.

Dancing’s Not A Crime

Vindo mais uma vez com o Rock de qualidade e muita energia, o Panic! At The Disco vai te conquistar com “Dancing’s Not A Crime”.

A faixa presente no álbum “Pray For The Wicked”, ganhou um clipe com direção de Brandon Dermer. Mais uma vez o boneco e alter ego do vocalista Brendon Urie, o incrível Beebo dá o ar das graças. Dessa vez, Beebo após ganhar passaporte livre ao backstage e pelo show da banda, perde o controle, apronta e passa dos limites trazendo problemas ao grupo e sua produção.

A primeira vez que o boneco apareceu foi no clipe de “Hey Look Ma, I Made It”.

Na produção também aparecem cenas de shows da mais recente turnê da banda, com direito até fogo no palco.

O Panic! At The disco é presença garantida neste ano, na nova edição do festival Rock’n Rio. Apresentação acontecerá no dia 3 de Outubro.

Queen + Adam Lambert

Já está em produção e em fase final, o documentário”The Show Must Go On: Queen + Adam Lambert Story”.

Com produção de Jim Beach e Simon Lupton, o doc vai estrear nos Estados Unidos pelo Canal ABC no dia 29 de Abril.

Na produção veremos a trajetória de Adam, com momentos de quando ele ainda era um cantor desconhecido, passando pela sua participação pelo American Idol e sucesso pós programa e o ano de 2011, quando ele começou a cantar com Queen no lugar de Paul Rogers que saiu do grupo.

O nome do documentário é uma homenagem a música “The Show Must Go On” do álbum ‘Innuendo’ (1991).

O documentário ainda conta com entrevistas e depoimentos do próprio Adam e dos integrantes do Queen, o baterista Roger Taylor e o guitarrista Brian May. Também tem falas do ator Rami Malek, que interpretou Fred Mercury no filme “Bohemian Rhapsody” e do criador do criador do American Idol, Simon Crowell.

Ainda não há uma previsão para o lançamento desta obra prima no Brasil. Mas é quase impossível que isso não aconteça.

Considerada uma das melhores bandas de Rock, o Queen é sucesso de geração em geração. E esse filme será um presente para todos nós.

Não Há Nada Melhor

A banda Malta quebra com tudo em “Não Há Nada Melhor”.

Eles gravaram novo clipe em São Paulo no famoso bar Aurora Club, com direção de Rodrigo Rossi. Nele vemos pessoas de vários estilos e gostos lembrando que sempre devemos ser nós mesmos sem medo de julgamentos. Além de mostrar a importância da amizade.

O novo single faz parte do novo álbum da banda. “IV” foi lançado no dia 15 de fevereiro nas plataformas digitais.

Invisível

Capital Inicial, uma das maiores bandas de Rock do Brasil, vai te conquistar ainda mais com “Invisível”.

O novo single ganhou um vídeo inspirado na obra de Tim Burton (filme “Noiva Cadáver”) e referência de artistas como Amy Winehouse, Michael Jackson e Elvis Presley.

Na animação caveiras, se juntam em uma festa com muito Rock’n Roll. Com direção de Ferreristico, o vídeo foi feito com a técnica de stop motion, na qual são tiradas fotos quadro a quadro, que juntas formam uma animação. Os bonecos utilizados foram confeccionados com arame e massa de modelar.

O vocalista Dinho Ouro Preto contou um pouco sobre a concepção do clipe, “A capa do nosso disco ‘Sonora’, lançado em Dezembro, e um dos clipes (‘A Tempestade’) do álbum foi feito pelo João Gabriel Jack. Através dele conheci o Ferraristico que dirigiu com a colaboração do Jack. Eu e Ferreristico, temos em comum uma paixão por Tim Burton, além de vários outros ilustradores. Nós dois, desde o início estávamos sintonizados na mesma frequência, O resultado é surpreendente”.

Na produção em forma de curta metragem, foram introduzidas várias imagens de catástrofes naturais guerras e pessoas usando o celular.

Foto: Fernando Hiro

Dinho revela, “Incluímos as catástrofes que acontecem, desde a primeira guerra mundial, até a catástrofe atual do uso do celular. O que temos visto ultimamente é, as pessoas cada vez mais conectadas a um aparelho e menos conectadas com a vida que acontece em volta delas. Então praticamente elas estão mortas e não perceberam. Essa foi uma crítica que quisermos colocar”.

Além de ser um dos clipes mais legais da carreira do Capital Inicial, essa música é muito atual e nos convida a viver a vida mais intensamente e aproveitando cada momento. Também nos convida a não tornar invisíveis os acontecimentos e as pessoas a nossa volta.

Bad Liar

Mais uma vez representando o Rock de qualidade, o Imagine Dragons lança “Bad Liar”.

Para o single foi gravado um clipe com direção de Ryan Reschenfeld, gravado em Los Angeles na Green Valley High School.

Na produção a bailarina Autumn Miller, coreografada por Marissa Osato, manifesta as emoções do fim de um relacionamento.

O vocalista da banda Dan Reynolds compôs a letra junto com sua esposa. Eles estavam em crise nos relacionamento pensando em se separarem. uma das maneiras de tentar mudar isso foi colocando os sentimentos no papel através de uma música.

Dan revela “Enquanto escrevi amor sabia mas do que se tratava mas também não falávamos sobre o que se tratava”. os dois se separaram mas depois de um tempo reataram o casamento.

De Verdade

O Fresno acaba de lançar “De Verdade”, o terceiro single do próximo disco da banda.

A nova música que traz um tom de melancolia e reflexão, ganhou um clipe com direção de Mário Camelo junto ao vocalista Lucas Silveira, gravado em São Paulo próximo ao metrô Sumaré. O cantor aparece na rua vazia cantando em forma de desabafo. Drones foram usados para as imagens aéreas.

Emocionante, a canção mostra bem como será o próximo álbum do Fresno. Para a Rolling Stone, o cantor Lucas Silveira falou sobre o novo trabalho, ainda sem data para lançamento.

“A gente quer explorar as facetas da tristeza. Seja tristeza com seu país, com a sua vida amorosa, uma tristeza que você não sabe explicar. O disco está tomando essa narrativa”

Lucas completa “A gente percebe que hoje em dia, a tristeza é pintada com um verniz mais bonitinho, o lance da sofrência, da sad music, do trap, que era algo que a gente fazia. Decidimos trazer isso de volta. É um disco que tem coisas cavalonas e coisa que a gente nunca fez, mais leve”.