Paredão

Kevinho, Jottapê e Dadá Boladão fazer a gente querer dançar até o chão com o brega funk “Paredão”.

O single ganhou um clipe dirigido por Kaique Alves e gravado na Comunidade do Jaguaré, em São Paulo. A produção mostra os cantores na favela cantando se divertindo e fazendo a festa. A locação da gravação foi escolhida pelo próprio Kevinho.

Segundo o diretor, “O melhor termômetro pra mim é no set de gravação, quando todas as pessoas que estavam assistindo, cantam a musica com apenas duas repetições de cena. ‘Paredão’ é um hit animado, descontraído e tenho certeza que será mais um estouro do Kevinho”.

Tá Que Tá

Mc Zaac e a dupla Simone e Simaria lançam o contagiante “Tá Que Tá” um funk bem latino com direito a palavras em espanhol.

O single ganhou um clipe muito divertido com direção de Rodrigo Giannetto que mostra pessoas estressadas no trânsito, inclusive Zaac, enquanto as policiais Simone e Simaria tentam colocar ordem em meio ao caos.

Zaac conta como surgiu a parceria com as coleguinhas, “A parceria surgiu no momento da criação da música. Eu, o Cabrera e o Tierri bolamos a letra. Depois de pronta, tivemos a ideia de convidar as meninas. A Universal nos ajudou muito no meio de campo. A Simaria pirou no som. Até então, eu não tinha tido contato com elas, mas gravar o clipe com a dupla foi maravilhoso. O som uniu a gente e rolou uma super vibe. Eu sou suspeito demais pra falar”.

Foto: Isis Bettelli

E sobre a faixa, o funkeiro revela, ” A música traz essa fusão de diferentes gêneros musicais, o sertanejo com o funk rendeu um ‘reggaeton brasileiro’. Ficou incrível o resultado! O clipe tá muito animado. Nem tinha como ser diferente com a Simone e a Simaria. Elas são superbacanas e a parada rolou muito bem. Obrigado pra galera que nos acompanha, pelo carinho de vocês e pelas sugestões dessa nossa parceria”.

Tanto Fez, Tanto Faz

Mc Kekel lança o hit “Tanto Fez, Tanto Faz” sobre aquele cara que muda pela amada, mas tudo foi em vão.

A música ganhou um clipe onde quequel vive um carteiro que tenta dar boa vida à esposa, que não dá valor e então ele decide mudar. A direção é de Tico Fernandes.

Para compor a letra Kekel se inspirou na história de um grande amigo. E o artista faz uma reflexão, “Hoje na quebrada vemos os relacionamentos em geral limitados. As pessoas deixam de curtir um baile, se afastam dos amigos, vendem coisas que conquistaram com muita luta para se dedicar a algo que não irá valer a pena. No final, a ficha cai e percebemos a importância do Tanto Fez, Tanto Faz“.

Sobre a história do vídeo Kekel pondera, “Ė algo que retrata muito a realidade de muitos relacionamentos de hoje em dia e acontece tanto da parte do homem quanto da mulher”.

Verdinha

Ludmilla acaba de lançar “Verdinha” provavelmente a música mais polêmica de sua carreira.

A canção ganhou um clipe dirigido por João Monteiro gravado no interior de São Paulo. Na produção, Lud aparece fumando um cigarro em meio a plantação de uma planta bem verde, uma alface.

A nova música é considerada pela cantora uma forma de de enaltecer a liberdade de escolha e a quebra de rótulos. E sobre o hit, a funkeira conta “Verdinha é uma música que eu adoro e tenho imenso carinho. Ela fecha esse ano, que foi um dos melhores da minha vida, com muita dança e animação. Espero que meus fãs e o público que me acompanhe goste”.

A polêmica da canção está justamente por ela fazer uma menção a maconha e ser considerada assim, como uma apologia por muitos.

Foto: Rodolfo Magalhães

Sobre o clipe, o diretor revela “Foi um prazer participar de mais essa aventura ao lado da Lud, dessa vez para mergulhar na analogia de uma mulher negra que, através do trabalho, levanta um império. Trazendo referências da cultura da ostentação, algo muito clássico no rap/hip hop, a ideia de colocar Lud no comando da plantação foi também para exaltar o trabalho que ela faz para conquistar seus objetivos e, além de toda a brincadeira, claramente uma busca por transformações sociais por meio dessa discussão”

Me Gusta Entrevista : Jonathan Costa

Entrevista e Texto por André Rossanez

O Portal Me Gusta teve a felicidade e o privilégio de entrevistar ao telefone o cantor, produtor, DJ e empresário Jonathan Costa, sim, o ‘Jonathan da nova geração’ que nos fez dançar muito em 2000.

Conversamos com o artista que comanda o “JonJon Baile” e está lançando seu mais novo single “Brisa Na Vibe”, ao lado de Os Hawaianos.

Saiba tudo o que conversamos na íntegra sobre carreira, música, projetos e o novo hit. Um bate papo muito bacana e inspirador.

Me Gusta: Aos sete anos você foi sucesso com o hit “Jonathan da Nova Geração”. Como foi para você tão novo já cantar e fazer sucesso?

Jonathan Costa: A minha conexão com a Música e com o Funk surgiu desde o meu nascimento. A bolsa da minha mãe estourou quando ela tava se apresentando num Baile Funk e saiu do baile direto para a maternidade. Então, fui acompanhando e fui me apaixonando e aos sete anos, quando comecei a cantar, era uma diversão e depois virou uma profissão. Hoje eu estudo para caramba música e me aprimoro cada vez mais dentro da minha área. E estou no Funk junto com meu baile levando essa minha outra característica. Durante muito tempo, as pessoas conheceram o Jonathan da Furacão 2000 como apresentador e empresário. Poucas pessoas tiveram acesso ao Jonathan da Nova Geração, que quando criança foi impedido de cantar, e tive que encontrar novos amores. E hoje nessa nova empreitada como DJ e produtor à frente do “JonJon Baile”, a galera tá tendo esse comeback de tudo isso que eles viveram, do pouco que eles puderam viver do Jonathan da Nova Geração e o que eles curtiram do Jonathan da Furacão 2000, com essa nova roupagem do “JonJon Baile” como DJ e produtor.

Me Gusta: Como você sente o fato do sucesso “Jonathan da Nova Geração,” ter sido marcante na vida de tanta gente, e ainda continuar sendo referência até hoje?

Jonathan: Pra mim é uma alegria gigantesca ter um hit atemporal. “Jonathan da Nova Geração” virou um hino da galera e isso é para mim gratificante demais. Fico muito feliz e desde “Jonathan da Nova Geração” até hoje, eu faço tudo com muito amor e tudo se torna real e aí todo mundo se identifica. Tenho 20 anos de carreira. Comecei com 6 anos quando gravei o meu primeiro hit, estourei com 7 e ano que vem tô completando 20 anos de carreira aos 26. É muito maneiro, muito legal.

Me Gusta: Como surgiu a música “Brisa Na Vibe” e a parceria com Os Hawaianos?

Jonathan: Eu e o Yuri, por conta da rotina de shows, a gente estava sem se falar e aí, um belo dia, com essa coisa de rede social nos falamos. E eu liguei para o Yuri e a gente começou a falar sobre várias coisas da vida . Porque assim, quando você tem uma amizade verdadeira, você pode às vezes passar anos sem falar, mas quando você volta a se falar, parece que vocês se falaram ontem. Daí, marquei para ele vir aqui em casa, onde tenho um home studio, e a gente começou a fazer uma análise de tudo que aconteceu, sobre tudo que a gente viveu no Funk e como o Funk está hoje e nessa, o Yuri me trouxe um trecho. Foi coisa de 3 dias, foi muita conexão, muita energia. Quando ouvi a música falei, ‘caraca, é isso’. A gente foi e escreveu a música, no segundo dia a música tava produzida e no terceiro dia, a gente já estruturou tudo. Então, foi uma parceria muito legal, onde a gente traz toda essa experiência de estrada que a gente já viveu e com a inovação dos dias atuais, com essa batida única e contagiante do Funk. A música é muito isso. E tem a coreografia com aquele bit, que não te deixa parado. Não é à toa que a música se chama “Brisa na Vibe”. É muito irado.

Me Gusta: Como foi gravar o clipe de “Brisa na Vibe”?

Jonathan: Sempre me dedico a tudo que faço 100%, mas essa música em especial me dediquei 1000%. Eu fiz o roteiro, dei pitaco na direção, montei o enquadramento e prestei atenção em tudo, para sair do jeitinho que eu acredito e transparecendo toda essa verdade, toda essa energia. Sem contar, cara, que tá muito legal, valeu muito a pena. Convido todo mundo a tá assistindo que a música e o clipe tão bem ‘da hora’. Tanto o diretor Ismael, como o Yuri e eu, a gente se entregou 1000% nesse projeto para fazer a diferença. Não tenho dúvida.

Me Gusta: Como surgiu lado DJ e produtor?

Jonathan: Como DJ sempre foi uma brincadeira, que fiz no meu lado pessoal, com os meus amigos. A galera que convivia comigo, as vezes num baile ou outro da Furacão, eu tocava. Era aquela coisa que começou como brincadeira. Aí a gente foi profissionalizando. Fiz um curso e comecei a estudar e fui me apaixonando, me apaixonando, até o momento que tirei meu projeto da gaveta, que foi o JonJon Baile e começou essa mistura de sucesso. No meu baile você encontra Funk, desde os mais antigos até os mais atuais. A gente faz realmente uma viagem do Funk, trazendo todos os sucessos a toda. Porque acredito que o sucesso não é só a novidade, mas é aquela música que quando toca a galera vai ao delírio.

Me Gusta: Como você vê o Funk atualmente?

Jonathan: Sempre vi o Funk como um dos maiores movimentos culturais do Brasil e também um dos maiores movimentos musicais do mundo. Hoje tá se tornando cada vez mais isso. A gente ainda sofre muito preconceito, mas já quebramos grandes barreiras e continuamos a evoluir. É uma música que quando toca já vem seu DNA, sua característica. Você ouve uma vez o Funk e nunca mais se esquece. Você pode as vezes, até não gostar, mas você dança, você curte, gosta da batida e se identifica com a letra. O Funk é isso. Ele é real e faz toda diferença no cenário musical e internacional, não é a toa que a gente vê grandes artistas mundiais se conectando, querendo aprender mais sobre o Funk e cantando.

Me Gusta: Como é o seu processo de composição?

Jonathan: Vai muito do estado de espírito. Tem vezes que acontece quando tô no sofá, às vezes quando tô no estúdio. Tem vezes que é muito louco. Tô andando na rua ou andando de carro entre os shows e vem uma ideia na cabeça. Paro e começo a escrever no bloco de notas. A composição vem pra mim, flui de uma maneira que é verdadeira, então tenho que estar me expressando. Então depende muito do estado de espírito na hora. As vezes, ja cheguei da balada com amigos e canetei uma parada, compus alguma coisa ou comecei a fazer um beat que achei legal ou ouvi na balada, encrementei alguma coisa. Eu acredito que pra mim, Jonathan, toda vez que crio uma parada, tenho que estar bem empolgado. Então vem do estado de espírito. Eu não tenho uma regra. Tem gente que tem uma regra de ‘Ah eu só consigo compor sentado em casa”, já eu não. Vem e quando vem tenho que parar para anotar tudo se não esqueço.

Me Gusta: Como é sua relação com os fãs?

Jonathan: A relação com meus fãs é ótima. Eu tento responder todos eles, o tempo todo. São minha família, essa é a realidade, porque eles, muitos me acompanham desde pequenos e outros estão chegando agora com o JonJon Baile e vendo como funciona, a galera mais jovem. É uma conexão com as pessoas, então é muito legal. Eu, por exemplo, nas redes sociais, eu mesmo respondo todos os comentários. Os directa, não consigo responder tudo, então preciso de ajuda, porque é muita gente. Mas os comentários eu paro pelo menos uma vez ao dia pra responder uma a uma. É muito legal. Você responde a pessoa, depois você encontra ela no show, ela te encontra no show e você encontra ela nas redes sociais. Então tenho essa conexão. Gosto de estar bem próximo do meu público.

Me Gusta: Dentro do que você puder adiantar, quais são os próximos passos?

Jonathan: Os próximos passos são músicas. Muitas músicas e gente nova. Porque é isso que tá faltando no cenário, a gente abrir portas pra essa galera da nova geração. Tem muita gente que vai chegar para vir um som novo, um som diferente Depois da Furacão 2000, muitas portas se fecharam pra mim, e eu prometi que daquele dia em diante, eu seria a chave para todas as pessoas que tiveram uma vez na vida uma porta fechada, ou que por algum motivo tivesse desistido de levar sua arte pra frente. Eu ia cultivar e trazer essa galera para dentro do game, dentro do jogo, produzindo uma música, escrevendo algo junto e dando aquela oportunidade pra galera botar a cara e mostrar o que sabe fazer.

Me Gusta: O que você diria pra quem está começando na carreira?

Jonathan: Cara, ame o que você faz e não desista. É o mais importante. Você tem que ter amor e tem que ter muita persistência. Na vida nada é fácil, na carreira artística também, mas a gente tem que persistir, acreditar e ter humildade e aprender com cada erro e ter também a certeza do que você tá fazendo, pra não se perder. Porque tem muita gente que se perde na estrada e com todas as ilusões. É saber quem você é e onde quer chegar. Então para te manter de pé é o amor. Você tem que ter amor pelo que você faz, porque chega uma hora que não é sobre ter dinheiro e quem ganha mais e quem ganha menos, é sobre o que você ama estar fazendo.

Brisa Na Vibe

Jonathan Costa, sim, o ‘Jonathan da nova geração’ que nos fez dançar muito em 2000 se juntou à outro fenômeno do Funk, Os Hawaianos pra nos fazer dançar ainda mais com “Brisa Na Vibe”.

O novo single ganhou um clipe todo animado com direção de Ismael Quadros. Na produção, os artistas fazem um belo baile de rua, que nos faz querer estar lá, e como formar de protestar contra a criminalização do Funk que muitos já infelizmente tentaram fazer.

“Essa é uma música que exalta a alegria através da dança, sem julgamentos, apenas boas energias. Na vida, somos bombardeados o tempo todo por notícias ruins e, no clipe, mostrarmos que também existe o lado bom no nosso dia a dia”, revela Jonathan, carinhosamente chamado de JonJon.

Jonathan que canta desde os sete anos, também compõe e produz música. Ele está sempre estudando música e aprendendo. Segundo JonJon, “Estou em constante aprendizado! Comecei sendo MC, apresentei programas de TV, aprendi a compor minhas músicas, fui vendedor de bailes, comandei programas de rádio, e hoje atuo como DJ e produtor. Em resumo, meu grande amor é o funk e as infinitas possibilidades que ele nos traz”.

Para quem não sabe, o artista montou seu próprio baile, que já está conquistando o país há dois anos. E ele também embarcou na carreira de DJ. “Amo essa rotina, adoro quebrar barreiras e levar o funk a lugares que muitas pessoas desacreditavam. Essa é a minha missão a frente do JonJon O Baile”, conta Jonathan.

Combatchy

Finalmente foi lançada “Combatchy”, a tão aguardada mega parceria de Anitta com Lexa, Luisa Sonza e Mc Rebecca.

A canção leva o mesmo nome de uma famosa festa em São Paulo criada por Anitta, que sempre traz ao palco cantoras pop e que inclusive no dia da estreia do clipe da nova música, recebe as quatro cantoras.

No vídeo do single, as cantoras se encontram em um combate de dança no meio da rua, uma contra a outra. A direção é de Nixon Freire.

Segundo Anitta, “Eu estou muito feliz em ter conseguido unir esse time de mulheres tão fortes, empoderadas e cheias de atitude para estarem nessa música comigo. São meninas que, como eu, atuam no funk e no pop. Poder trocar uma experiência que foi cheia de diversão e bons momentos no set de filmagens e no grupo de WhatsApp que criamos foi incrível”.

Foto: Eduardo Bravin

A funkeira completa “Compositores fizeram essa canção por causa desta festa Combatchy que eu já costumo fazer. Quando me mandaram a música achei que tinha que ter um power do Funk, por isso, chamei as meninas”.

Foto: Eduardo Bravin

Não resta dúvida de que essa música vai bombar nas pistas de dança do Brasil todo. Além de ser uma música ágil e dançante, como todo mundo adora, reúne quatro dos maiores nomes do atual pop feminino brasileiro e juntas, as meninas formaram um time de primeira.

Anitta – Brasileirinha

A poderosa Anitta acaba de anunciar uma novidade, que vai fazer a felicidade de todos os seus fãs, um novo álbum.

Pelo Twitter, a cantora revelou “Vem aí “Brasileirinha”, meu novo projeto musical totalmente em português. Começa nessa terça feira com o lançamento de “Some Que Ele Vem Atrás” ao vivo no Prêmio Multishow, e a gente não vai parar até Dezembro. Aos poucos vou contando muito mais sobre o projeto. Ansiosos?”

Inclusive, este primeiro single, é uma parceria com a cantora Marília Mendonça, que já havia sido anunciado pelas duas cantoras.

Anitta também publicou um vídeo criativo para a divulgação do novo projeto, onde ela companhada de seu cachorrinho de estimação, Plínio, responde à imprensa sobre seus projetos.

Eterna Sacanagem

Mc Jottapê, Mc Kekel e Kevinho vão tirar todo mundo para dançar com o hit “Eterna Sacanagem”.

O Funk produzido por KondZilla, ganhou um clipe divertido dirigido por Kaique Alves, onde os três são solteiros e enrolados com suas ex e no fim se divertem num boliche. E ainda temos a participação de Naldo Benni como um companheiro de boliche.

Jottapê está em começo de carreira e é é um orgulho o ver já cantando com nomes tão importantes do Funk. E ele ja fez até shows na Europa. Segundo ele, “Estou muito feliz com essa nova etapa da minha vida, essa é minha primeira turnê internacional. Ver que o meu trabalho está sendo reconhecido fora do meu país é muito gratificante”.

Ele completa “É um sonho que realizei graças a muito trabalho, muita humildade e graças a Kondzilla Records”.

Mulher Não Bate Boca

Jojo Maronttonni (Jojo Todynho) se joga e dança muito em “Mulher Não Bate Boca” em parceria do DJ Batata.

O clipe da faixa produzida pelo grande Hitmaker ganhou um vídeo ousado e alegre dirigido por Wyssbrasil. Nele, Jojo e seus dançarinos se divertem muito em uma quadra e ela também vive um momento de diva no salão de beleza. Rolou até topless da cantora.

As gravações aconteceram em Bangu, no Rio de Janeiro e Jojo garante “Essa música vem com uma pegada dançante e tem tudo pra ser hit“.

Tanto com a letra da música, como com o clipe, Jojo mostra que não está nem aí para qualquer crítica e nem para o que dizem. Ela reafirma sua autenticidade e inspira assim, todos nós a sempre sermos nós mesmos, sem medo de qualquer julgamento e a lutarmos por nossos objetivos.

A Pampa

Jerry Smith lança a animada “A Pampa” para nos fazer querer rebolar e quicar até o chão.

A música que faz referência ao Funk de São Paulo, ganhou um clipe, onde Jerry é jurado em uma disputa feminina de dança. A direção é do mega talentoso Mess Santos.

O novo single chegou para conquistar o país todo trazendo toda a energia e animação de Jerry. O cantor acumula mais de 430 milhões de visualizações no You Tube e mais de 3,8 milhões de ouvintes no Spotify por mês.

Envolvente

Buchecha e PK lançam o eletrizante single “Envolvente”, misturando com maestria Funk e Hip Hop.

No novo clipe dirigido por Rafael Carmo, acompanhamos a história de uma garota que trabalha num mercadinho e lá conhece um cara que fica encantada com ele.

Buchecha conta um pouco sobre o desenvolvimento do vídeo, “Gravamos as cenas em alguns pontos marcantes do Rio de Janeiro. Passamos pelos Arcos da Lapa, que é um lugar badalado da cariocada. Alguns outros takes foram feitos dentro de um estúdio no centro da cidade. Estou animado pelo resultado”.

O artista também falou sobre a parceria com PK, “A parceria surgiu a partir de um convite do Papatinho, que nos apresentou no estúdio da Papatunes Records, no Recreio, no Rio de Janeiro. Na época, acabou não rolando porque a música que estávamos planejando acabou não saindo. Mas, assim que recebi ‘Envolvente’, no estúdio do Umberto Tavares, achei que o PK seria o parceiro ideal”.

Já PK conta, “Estou muito feliz com esse lançamento ao lado do Buchecha. Ele é uma lenda do funk, contribuiu muito pro ritmo, foi uma honra receber o convite. Além disso, Buchecha é um amigo querido, baita parceiro, uma pessoa que eu sempre admirei. ‘Envolvente’ trará muita animação, alegria e dança. Espero que o público goste muito, foi feito com carinho para vocês”.

Partiu 2

Mc Kekel chega discotraído d safadinho em “Chega 2”, a continuação de um grande hotel do passado.

No novo clipe, Kekel vai parar no psicólogo para fazer terapia, após dar mais uma fugidinha de casa e sua esposa cansada disso, resolver fazer o mesmo. A direção é de Gabriel Zerra.

Mais uma vez, o artista se joga como ator. Segundo ele, “Desta vez eu tive a oportunidade de explorar a minha atuação em um clipe. Minha inspiração foi o Eddie Murphy, grande nome da comédia mundial, que deu vida a três personagens no filme Norbit“.

A faixa é uma continuação do hit “Pariu” de 2016.

Chama Ela

Lexa e o DJ Pedro Sampaio lançam “Chama Ela”, um Funk daqueles pra rebolar a tava e quicar no chão.

No clipe da música, Lexa e Pedro estão em uma academia com direito a ringue de Boxe, onde causam e dançam muito. A direção é de Kaique Alves.

Lexa também já gravou um segundo clipe para mesma música. “O clipe de ‘Chama Ela’ já tinha sido gravado em São Paulo, mas aí pensei: quero um outro com a coreografia. Minha intenção é mesmo agradar aos meus fãs que adoram dança coreografada”.

Pedro, que escreveu a letra junto da cantora, revela “Eu vejo essa música como um filho, mas que não nasceu chorando. Foi sorrindo, com uma energia incrível. ‘Chama Ela’ é isso. Uma parceria que deu muito certo e quem for impactado por ela, com certeza vai querer dançar e repassar a energia positiva que a faixa transmite”.

Acordei Sonhando

Após ter sua história contada por Luciano Huck, Mc Kabeça lança “Acordei Sonhando”, seu primeiro single pela KondZilla.

Kondzilla conheceu o cantor através do programa “Caldeirão do Huck” e viu nele, um grande potencial para o Funk. Foi então que surgiu novo hit produzido com direito a clipe.

Foto: Léo Caldas

O vídeo mostra Mc Kabeça acordando em uma mansão, com sua namorada e também desfrutando com os amigos e ela, suas conquistas, fruto de seu trabalho.

O Mc fala um pouco como começou a cantar. “Tudo começou em uma brincadeira de moleque que viria a ser um sonho profissional. Eu comecei na brincadeira, fazendo umas rimas com um amigos, até que resolvemos fazer uma música e acabamos levando a coisa mais a sério. Só que um tempo depois esse meu amigo entrou para igreja e desistiu do funk, mas eu amo isso e continuei até hoje”.

Foto: Léo Caldas

Pé no chão, o cantor diz “OFunk permite relatar histórias reais de vida, isso é o que eu gosto de fazer de verdade. Eu amo música e não é nem por causa de fama, dinheiro ou essas coisas, é simplesmente porque eu gosto de cantar mesmo”.

Foto: Léo Caldas

Do Guarujá, Mc Kabeça nunca desistiu dos seus sonhos e após escrever para o programa da Globo, conseguiu realizar o sonho de ser um cantor produzido por KondZilla.

O cantor começa agora uma nova fase e tem de tudo para ser um artista consagrado no Brasil todo.

Fonte: Portal KondZilla