VIDA

Sem dúvidas “Despacito” é o maior fenômeno da música latina dos últimos anos. O resultado, mais de 5,9 bilhões de visualizações no You Tube e a maior quantidade de visualizações da história mundial. Um feito e tanto de Luis Fonsi com participação de Daddy Yankee.

Depois veio outro fenômeno, “Échame La Culpa” com Demi Lovato. Finalmente o nono álbum de Luis Fonsi com estas duas canções e outros sucessos já está entre nós desde 2 de Fevereiro de 2019.

Capa

E sobre este disco com quinze faixas e produção dos renomados Maurício Rengifo e Andrés Torres, que vamos falar.


Devido aos primeiros singles serem bem agitados, as pessoas pensavam que neste trabalho lançado pela Universal Music, Fonsi abandonaria suas baladas e romantismo. O cantor então declarou na época “muitas pessoas pensam que eu me afastei desse lado romântico, e eu sempre dizia ‘eu não vou a lugar nenhum’. Eu ainda sou um cantor romântico. Eu ainda falo essa linguagem romântica, mas ao mesmo tempo gosto de fazer as duas coisas. Não gosto de ser limitado”.

Ele ainda completou “eu quero ser capaz de dançar, fazer as pessoas se alegrarem e às vezes, cantar uma balada com muita letra, muita emoção”. E esse álbum reflete tudo isso que ele contou. Ele é bem equilibrado em termos de músicas agitadas e baladas típicas deste cantor sensacional.

Luis Fonsi com Daddy Yankee

Na mesma linha de “Despacito” e “Échame La Culpa”, outros dois singles colocaram o mundo inteiro para dançar. Foram “Calypso” com participação de Stefflon Don e “Impossible”com a colaboração de um dos maiores expoentes do Reggaeton atual, Ozuna.

Ao mesmo tempo romântico e dançante temos também o hit “Sola” que mistura o Pop com o R&B, numa mistura única e muito bacana, gostosa. Destaque também para “Más Fuerte Que Yo”, uma música forte e cheia de personalidade sobre não conseguir se afastar de quem se ama.

Luis Fonsi e Demi Lovato

Foi muito gostoso ouvir “Apaga La Luz”, uma canção alto astral, cheia de vida que fala sobre aproveitar a vida ao máximo. A ouvir me fez lembrar do show de Fonsi no Brasil em Maio de 2018. Na ocasião ele cantou esta música, para mostrar antes de lançar o álbum, como um presente aos fãs. Um lindo momento.

Ozuna e Luis Fonsi

Trazendo a origem romântica de Luis Fonsi com muita emoção temos duas lindas faixas. A oração por um amor verdadeiro “Le Pido Al Cielo” e a visceral e intensa “Dime Que No Te Iras”. Também destaco “Tanto Para Nada” com uma batidinha leve e bem marcada, compassada, falando sobre desilusão após muita dedicação ao amor.

Não tem coisa mais bonita do que amor de pai por um filho. E esse amor foi transformado em canção. “Ahí Estas Tu” foi escrita para Rocco, quando ele ainda estava na barriga da esposa de Fonsi. Além da linda declaração de amor, a faixa tem o arranjo que começa com um “violãozinho delícia”e no final ouvimos um belo arranjo de cordas para fechar com chave de ouro. Emocionante, de arrepiar.

Também está presente no álbum os remixes de “Calypso” e de “Despacito”. O primeiro com participação de Karol G, Andrés Torres e Maurício Rengifo e a segunda com participação de Daddy Yankee e Justin Bieber. Vale lembrar que no refrão, Justin canta em espanhol, o que foi um pedido dele mesmo. E a pronúncia ficou muito boa. Também temos a versão em inglês de “Sola”.

Luis Fonsi explica porque o álbum se chama “Vida”: “Essas músicas vem de lugares muito honestos e reais. Muitos tem haver comigo, muitos não. Mas senti que minha vida está aí, em cada música”. O título também foi escolhido pois para ele o álbum é uma espécie de raio-x de sua vida e pois quando ele começou a gravá-lo, sua esposa estava grávida. Para ele, o amor como o pai e a empolgação com a gravidez refletiram muito em suas músicas e em sua comunicação.

Luis Fonsi e Stefflon Don

Esse é o álbum mais pop de Fonsi, que soube muito bem dosar com perfeição as músicas mais animadas com as baladas, que sabe fazer como ninguém.

Sem dúvida um dos melhores álbuns da carreira de Luis Fonsi. O artista conseguiu reinventar seu trabalho e sua arte, sem deixar de lado as suas raízes. A espera pelo novo disco foi grande, mas valeu muito a pena. Um disco que o fã não pode deixar de ter em sua coleção.

Já no lançamento do CD, Luis Fonsi recebeu o certificado de disco de diamante duplo nos Estados Unidos, pela venda de 1,3 milhões de cópias no país.

Aqui no Brasil a versão física do álbum será lançada em breve.

Com o certificado de disco de diamante duplo EUA
Anúncios

Reflexo

Mais uma vez Maiara e Maraísa conquistam o coração de seus fãs com “Reflexo”, seu novo trabalho ao vivo.

O novo álbum lançado pela Som Livre, tem 14 músicas inéditas, resultado de dois anos de pesquisas musicais. O mais interessante é que as meninas moravam separadas em Goiânia e por três meses se mudaram para a mesma casa em São Paulo.

No tempo em que moravam juntas, as cantoras receberam diversos compositores e ouviram muitas canções para escolha de repertório.

A gravação do novo projeto aconteceu no dia 9 de Outubro de 2018 em São Paulo no Espaço das Américas. Algumas músicas já tinham sido apresentadas ao público, que chegou ao show já sabendo cantá-las.

Como todo grande trabalho ao vivo, temos participações para lá de especiais. Já grande sucesso no Brasil todo, o hit “Traí Sim”mostra todo o talento de Zé Neto e Cristiano, que junto com as gêmeas traz uma grande sacada na letra ao dizer “você queria sucesso, então tá aí, seu nome na boca do povo”. Quer melhor justificativa para pagar na mesma moeda?

Com Zé Neto e Cristiano – Foto: Thiago Duran

Jorge e Mateus também abrilhantaram a noite em “Bebo Litro”, uma típica música ao estilo ‘fundo do poço’, que sempre lembra a história de desamor de alguém.

Com Jorge e Mateus – Foto: Thiago Duran

Henrique e Juliano, mostram todo seu carisma em “A Pergunta” e Gustavo Mioto mostra porque é uma das melhores vozes da nova geração do sertanejo com a animada “Meu, Dele, Nosso”.

Com Henrique e Juliano – Foto: Thiago Duran

Destaque também para “Tchau” sobre o fim de uma relação e “Nem Tchum” que ao falar do resgate de um amor perdido, fez a plateia inteira cantar junto com elas. Sem dúvida, uma das melhores músicas do disco é “Vai Ter Que Confiar Em Mim”, que traz muita identificação com o público ao cantar o amor e o ciúmes.

Com Gustavo Mioto – Foto: Thiago Duran

Um momento muito bacana, é quando o público canta com muita força e amor, “Coração Infectado” sobre o estrago de um amor não correspondido.

Não posso deixar de mencionar “Ai Que Vontade” sobre uma amizade que pode virar namoro e “Separada” que fala da força da mulher guerreira, que não depende de homem nenhum e ainda dá conta de trabalhar e ao mesmo tempo ser pai e mãe.

Foto: Thiago Duran

Além do CD, o novo trabalho ganhou um DVD que mostra este belo show com cenário repleto de espelhos e muitas projeções no palco. Nele podemos sentir toda a emoção de Maiara e Maraísa e como é grande a conexão delas com seus fãs dedicados e apaixonados.

E elas também mandaram muito bem na escolha do título do projeto. “Reflexo” foi escolhido devido à semelhança física das gêmeas e também por refletir uma fase mais madura e segura das sertanejas. E é exatamente esta maturidade e evolução musical que vemos com este lindo CD e DVD.

CDs Que Amamos : Victoria Beckham

Esse ano será marcado pelo retorno das Spice Girls aos palcos, porém sem uma de suas integrantes. No primeiro dia do ano vamos falar do único álbum solo de Victoria Beckham que desta vez não quis se juntar às suas amigas, mas as apoiou muito.

Com 12 faixas, sendo 9 autorais pela gravadora Virgin Records, o CD que amamos foi lançado em 2001 e teve produção de Jack Kugell, Matt Prime, Damon Thomas, Harney Masson Jr, entre outros.

Com o gasto de cerca de 5 milhões de libras para ser produzido, infelizmente esta produção teve apenas 50 mil cópias vendidas. Porém esta baixa marca não faz deste, um disco menos incrível ou de menor valor.

A primeira faixa logo de cara o primeiro single “Not Such An Innocent Girl”. Para mim é a melhor de todas e com um Pop no seu jeito mais puro, mostra de cara toda qualidade desta cantora que por muitos não foi valorizada.

Explorando ao máximo a voz da Victoria, que sempre foi a menos evidente e a menor em termos técnicos e de qualidade de todas as Spice, “Mind Of It Own”traz um belo Rap no começo, evidenciando outra faceta da cantora, pouco conhecida. Além disso mostra que a ex-spice é sim uma boa cantora.

Para quem gosta de um Pop um pouco mais sofisticado temos a envolvente “That Kind Of Girl”convocados mais leves e macios. Uma canção que perfeitamente se encaixaria em uma produção das Spice. E com violão tchelo e sintetizadores, “Like That” mostra uma Posh Spice mais madura, mais forte e segura de si, com uma música inspiradora e bela.

Ao misturar o Pop com o R&B, “Girlfriend” ficou com o ar um pouco mais antiquado, mas mesmo assim soou contemporâneo e se mostrou uma das músicas mais interessantes do disco. Uma Victoria Beckham que ainda não conhecíamos.

O maridão David Beckham, teve “I.O.U” toda dedicada a ele. No tema, Vitória teve sua voz muito bem explorada e se mostrou cheia de emoção. O começo da música parece algo épico e junto de arranjos de cordas durante a canção, a torna bela e especial. Com um ar todo romântico.

Tem uma música que me lembra muito o som do Destiny’s Child. Estou falando de “I Wish”, uma faixa animada e cativante que nos faz querer dançar.

E não podemos deixar de dar destaque para “Every Part Of Me”. Com altas notas vocais e de volume, porém trazendo muita doçura e emoção, somos agraciados pela homenagem à Brooklin Beckham, o primeiro filho de Victoria e que fala sobre o sentido que a vida ganha com o filho e sobre o amor incondicional.

Ao lançar o disco Victoria Beckham declarou “Passei 18 meses gravando esse disco. Espero que as pessoas percebam que tenho mais a oferecer do que um ar de tédio e um rosto bonito”. E a cantora conseguiu passar exatamente isso.

Eu diria que esse CD é surpreendente. E o porque é simples. Vemos que Victoria é muito melhor cantora do que imaginávamos. Mesmo talentosa, por ser menos boa cantora do que as amigas de Spice, ela nunca conseguiu mostrar também seu verdadeiro talento para a música. Também é muito bacana ver os elementos de R&B que deram ao trabalho muita personalidade.

Esse disco chegou, para mostrar que ela é muito mais do que um rostinho bonito, muito mais do que uma integrante das Spice Girls e que ela é sim uma excelente cantora. Uma obra que vale muito a pena ouvir muitas e muitas vezes.

CDs Que Amamos : Red Pill Blues

Há um pouco mais de um ano atrás, no dia 3 de Novembro de 2017, era lançado o disco “Red Pull Blues”, o sexto do Maroon 5.

A produção foi por conta de Jacob ‘J Kash’ Hindlin, o vocalista Adam Levine e parceiros por 222 Records e Interscope Records com distribuição pela Universal Music.

Com dez músicas na versão standard, a Deluxe (com mais quatro faixas) já de cara estreou em primeiro lugar no ITunes Brasil.

O primeiro single “Don’t Wanna Know” com participação de Kendrick Lamar é uma das melhores faixas do disco e uma das queridinhas do público. A segunda música de trabalho “Cold” conta com a participação de Future e mais uma vez traz o agudo de Adam Levine usado com maestria.

“What Lovers Do” é o terceiro single e também mostra o agudo do vocalista que todos gostamos de ouvir. SZA participa dando um toque todo especial com sua voz forte ao mesmo tempo leve, de tão gostosa de ouvir. Uma baladinha eletrônica daquelas.

O quarto sucesso “Wait” traz a voz de Adam com efeito eletrônico. Uma daquelas músicas gostosinhas de ouvir que fala sobre a luta para recuperar o amor perdido. O último single “Girls Like You” para falar da garota dos sonhos, possui um ritmo um pouco mais gingado. A música ganhou uma versão com a cantora Cardi B, disponível nas plataformas digitais.

Destaque para as duas músicas com tom mais lírico sobre um amor perdido, “Denin Jacket” e “Plastic Love”.

“Best 4 U”é mais uma música bem eletrônica e sensorial que traz um balanço todo gostoso, daqueles que faz você mexer o corpo ao ritmo da canção. “Whiskey” é uma música leve sobre um romance que começou em Setembro, em que o vocalista canta com um tom um pouco mais baixo e não menos belo, com participação de A$AP Rocky.

Não podemos deixar de destacar “Visions” que é a faixa mais Pop de todas e que ganhou um toque de Reggae. E também “Lips On You” uma das mais lindas e românticas e que ao mesmo tempo é bem sensual.

“Help Me Out” é outra canção onde o agudo de Adam Levine é bastante explorado. E se é agudo que você quer, nesta faixa é isso que você vai ter já que a cantora Julia Michaels participa trazendo ainda mais agudos. Claro que também, muito bem executados.

Vale vale ressaltar que a versão Deluxe ainda vem com um CD extra, com seis faixas ao vivo gravadas em Manchester em 2015.

Este álbum é um marco na carreira do Maroon 5. Com um integrante a mais na banda, eles renovaram o seu som, com o disco mais eletrônico de todos usando bastante baixo sintetizado, porém sem perder sua essência.

É um daqueles discos que você começa a escutar e não quer que acabe tão cedo. Quando acaba fica aquele gostinho de quero mais.

Com certeza foi um álbum que serviu para que o Maroon 5 se firmasse ainda mais no mundo da música e mostrasse que esta banda nunca fica velha.

Um dos melhores trabalhos da carreira de Adam Levine e sua turma.

CDs Que Amamos : P.A.R.C.E

No dia 7 de Dezembro de 2010, há exatos 8 anos, era lançado “P.E.A.R.C.E”, o quinto álbum de Juanes pela Universal Music.

Esse CD que amamos muito tem 10 faixas, todas compostas pelo colombiano e ganhou uma versão Deluxe com duas músicas a mais e um DVD com clipes e making off. A produção foi por conta de Stephen Lipson.

“Parce” é um encurtamento da palavra ‘parcero’e uma tipica expressão de Medellín (Colômbia) para ‘amigo’. Segundo o próprio artista é um disco com mensagens de amizade, amor, paz e liberdade.

Alguns meses antes do lançamento, Juanes pediu para que todos os seus fãs enviassem pelo site oficial suas fotos. As 3000 primeiras recebidas fariam parte da parte da capa do disco. Olhando a capa, vemos que o rosto do artista é composto por várias esferas. Cada uma tem a foto de um desses fãs. Inclusive a foto deste que vos escreve.

O primeiro single “Yerbatero”, no lançamento, chegou em primeiro lugar na lista Hot Latin Songs da Billboard e esteve por uma semana. Ela foi inspirada na infância de Juanes.

Quando criança, perto de sua casa no estado de Antioquia, viviam e passavam por lá muitos curandeiros, que vendiam ervas e faziam rituais de cura. Assim, a faixa surgiu.

O segundo single “Y No Regresas” que fala daquele amor que resiste até às pisadas de bola, chegou só primeiro lugar nas paradas de países como Colômbia, Equador e Argentina.

O maior bem da vida de Juanes é sua família. E uma linda homenagem foi feita à sua esposa Karen e aos filhos Paloma, Luna e Dante com a faixa “La Rázon”. A letra fala sobre a felicidade em família e sobre a expectativa para o nascimento de Dante, estava na barriga da mãe, quando foi feita a composição.

Apesar da letra falar de algo triste, “Segovia” é uma das mais animadas. A cidade que dá nome a faixa, na década de 1980 foi vítima de um massacre onde muitas vidas foram tiradas. A animação que escutamos é explicada pela música folclórica, que era muito presente na vida dos moradores de lá.

Destaque para as faixas “El Amor Cura Todo” sobre o amor como cura para superar dificuldades e “Todos Los Dias” sobre a força do amor para mudar o mundo, começando pela casa da gente. E não podemos deixar de destacar também o belo solo de guitarra no fim da faixa “Esta Noche”, trazendo a marca registrada de Juanes.

A versão Deluxe do disco, tem como extras “Quimera” que fala dos terremotos no Chile e no Haiti e como o amor ajudou na reconstrução e “Regalito” que foi música de trabalho e trás o ritmo colombiano Guasca, muito utilizado em músicas dele.

Sem dúvida, esse é um dos melhores trabalhos da carreira de Juanes. Ele resgata a essência do artista através da guitarra tocada por ele mesmo e que é sua marca registrada e pelos ritmos e arranjos, que lembram seu começo de carreira.

Muitos consideram um álbum injustiçado. Apesar de ter tanta qualidade e músicas encantadoras, foi pouco trabalhado e explorado nos shows. Além de ter tido muito pouco singles. Mas nada disso tira o encanto de “P.A.R.C.E”.

CDs Que Amamos : Acústico

Hoje o Portal Me Gusta vai relembrar um CD que amamos e muito, e que é emblemático na carreira de Luan Santana. Estamos falando do projeto “Acústico” do cantor.

Lançado em 25 de Fevereiro de 2015 pela Som Livre, o disco contém tanto músicas, na época inéditas, como grandes sucessos de sua carreira que recém completava 8 anos. A produção musical foi por conta do renomado Dudu Borges.

Gravado em São Paulo nos Estúdios Quanta em 17 de Dezembro de 2014, o trabalho contém 20 canções, todas com uma roupagem acústica e que caiu facilmente no gosto dos fãs, além de trazer novos fãs para o cantor.

Logo de cara nosso coração suspira com um mega hit, “Escreve Aí”. Quem nunca viveu um amor em que apenas com um estalar de dedos você vai onde quer que a pessoa esteja? Seguindo a vibe fofa, “Chuva De Arroz” nos leva a sonhar com um amor genuíno e com uma vida a dois.

Destaque para músicas que entraram para trilhas sonoras da Rede Globo. Sobre um amor inesperado, “Cantada” embalou a novelinha teen “Malhação : Seu Lugar No Mundo”.

“I Love Paraisópolis”, ganhou em sua trilha “O Recado” sobre aquele amor difícil de esquecer mesmo se estando com outra pessoa. E por fim uma das músicas de maior sucesso da carreira de Luan “Eu Não Merecia Isso”, chegou na casa dos telespectadores diariamente na novela “Sete Vidas”.

Duas músicas que fizeram parte do primeiro disco do cantor, não podiam ficar de fora desta seleção. Também gravadas por João Bosco e Vinícius, “Sufoco” e “Falando Sério” trouxeram uma gostosa nostalgia. As duas levantaram o público que cantou e muito junto à Luan e entre elas os fãs saudaram o artista dizendo “Gurizinho”, o apelido carinhoso que ganhou no início de sua trajetória artística.

Um detalhe muito lindo do álbum foi a presença de uma bela orquestra, que trouxe o ar um pouco mais sofisticado para faixas como “Conto De Foi” e “A Outra” (uma das mais inspiradoras).

Quem nunca se pegou cantando “Meteoro”? A eterna música querida do público foi a responsável pelo estouro no Brasil da arte de Luan Santana. Foi o primeiro grande sucesso de todos e ganhou sua versão acústica que ficou incrível.

Com uma versão com andamento um pouco mais rápido do que a original, “Amar Não É Pecado” deixou os corações apaixonados batendo mais forte.

Para encerrar o álbum com chave de ouro, um trio de músicas que todos nós adoramos. Umas das mais lindas “Te Vivo”, “Cê Topa” que animada nos alegra falando de um amor com cumplicidade e planos de um futuro bom com família e tudo, além da emocionante “Tudo O Que Você Quiser”.

Além do CD, este belo trabalho também foi lançado em DVD. Nele podemos ver este show que teve a direção de Joana Mazzucchelli e inspiração estética nas décadas de 1950 e 1960.

No palco muito amplo, um telão no centro que passava diversas imagens e cenários. Além disso triângulos de LED, traziam uma iluminação especial que através de movimentos geravam espécie de ondas sob o palco, dando um espetacular efeito visual.

O figurino de Luan Santana é simplesmente impecável. Roupas como jaquetas e camisetas brancas, trazem de volta a moda das décadas de 50 e 60. E inspirado em Elvis Presley, Luan ganhou um penteado com um topete de dar inveja.

Com certeza este álbum “Acústico” é um dos maiores e melhores de toda a carreira de um dos sertanejos de maior talento e destaque de nosso país.

Mais uma vez Luan buscou trazer algo novo para o seu público e junto a sua equipe conseguiu montar um dos melhores repertórios até hoje de sua carreira. Também conseguiu uma estética linda, além de se encontrar nas versões acústicas. A voz do artista combina e muito com esse tipo de arranjo.

Algo também muito bacana é o fato de que CD e DVD tem a mesma quantidades de músicas. Muitos projetos ao vivo, trazem menos conteúdo no CD e isso não acontecer é um cuidado e um carinho para com os fãs.

Não podemos deixar de destacar uma bela ideia da equipe Luan e Som Livre. Quem levou para casa sua cópia do CD e DVD, ganhou cinco fotos com a mesma estética das reveladas na hora nas câmeras fotográficas Polaroid. Como dizemos, ‘a cereja do bolo’.

Lucas Lucco – A Origem

Um dos sertanejos mais queridos do Brasil, Lucas Lucco lança seu novo álbum ao vivo, “A Origem” pela Sony Music.

Gravado em Goiânia o projeto que também ganhará um DVD, traz 19 músicas inéditas e participações para lá de especiais.

O primeiro single “Briguinha Bom” já conquistou o país e o seu vídeo teve cerca de 4 Vírgula 2 milhões de visualizações no You Tube. Para lançar o novo trabalho, foi disponibilizado o vídeo de “Posto 24h” com participação de Wesley Safadão.

“A Origem” reverencia o início da carreira de Lucas que começou em Goiás, o que justifica a escolha do local de gravação. As músicas misturam o Sertanejo com a Bachata, o Forró e o Arrocha, refletindo a personalidade de Lucas Lucco.

Divulgação

O cenário imenso do show é bem tecnológico e conta com muito led e imagens que reagem em tempo real, de acordo com a movimentação do cantor no palco junto as bailarinas.

No repertório, músicas bem-humoradas sobre reviravoltas amorosas como “Sofrendo Em 3D” com participação de Maiara e Maraísa e “Briguei Com Um Palhaço” com Gustavo Mioto. Enaltecendo a mulher poderosa temos faixas como “Maliciosamente”, “Tá Play” e “Ela, É Só Dela” com Mc Kevinho.

Fotos: Webert Belício

E claro que o romantismo não poderia ser deixado de lado. “Boca Cega” e “Aham” são alguns exemplos. E para alimentar a alma, Padre Fábio de Melo canta com Lucas Lucco na faixa “Calor Do Momento”.

Outro momento para lá de especial é a participação da dupla Israel e Rodolffo na faixa “Cão Arrependido”. A dupla foi responsável em apoiar Lucco no início da carreira. Eles foram os primeiros a chamarem o cantor para se apresentar, diante de um grande público.

Divulgação

Sem dúvida, “A Origem” é um dos maiores lançamentos deste ano e traz Lucas Lucco em sua essência, através de seu talento, sua voz e suas canções que sempre conquistam a todos em todo lugar que tocam. Você vai se divertir, se emocionar e se identificar com este lindo projeto.

Jungle Kid

Já conhecemos muito bem Cléo Pires como atriz. Agora temos a oportunidade de conhecer a cantora Cléo que vem com tudo no EP “Jungle Kid”.

Com 5 faixas, inclusive autorais, e produção de Guto Guerra, o projeto é bem pop e principalmente eletrônico tendo batidas bem marcadas e cheias de personalidade.

Sobre o estilo musical Cléo falou para a Revista Época, “As referências que me passaram, foram muito mais voltadas para a paixão pela música do que num estilo em sí”. E é realmente isso que ouvimos e que nos conquista e muito.

Dando título ao trabalho “Jungle Kid” é uma faixa bem eletrônica com uma pitada de Rock, trazendo um som mais alternativo e com batidas que acompanham muito bem a voz da cantora.

Capa do EP “Jungle Kid”

Uma das melhores músicas é a Pop Eletrônica “Impulses”, onde a artista explora tons de sua voz, nos surpreendendo muito positivamente. Já “Cloud” é um pouco mais calma e muito envolvente, nos fazendo esquecer tudo a nossa volta.

Muita atitude também está presente neste EP com a faixa “Bandido”, a mais Pop de todas. Cheia de empoderamento e com efeitos na voz, nos reforça a importância de não abaixarmos a cabeça pra ninguém e mantermos nossos ideais.

Arrisco a dizer, que a música com maior potencial de sucesso é “Faz O Que Tem Que Fazer”, pois além de ter uma letra muito bacana, ela trás muita identificação com quem a ouve e mistura o Pop com Funk e batidas eletrônicas da maneira que o povo gosta.

Demorou um pouco para que Cléo Pires nos mostrasse sua faceta como cantora, porém a espera valeu muito a pena. Ela se mostrou uma ótima cantora de voz grave e trouxe um trabalho conciso, de qualidade e com músicas que tem de tudo para estourar, não só no Brasil mas também no mundo todo.

Foto: Jacques Dequeker

Para a Revista Época, a artista explicou a demora em se lançar na música, “Sempre amei cantar e tudo que é relacionado à música, porém com os projetos da TV e no cinema, não encontrava tempo para me dedicar como eu gostaria”.

O primeiro EP de Cléo tem muito estilo e músicas muito bem produzidas, com batidas marcantes que dão um toque todo especial. Além disso as faixas são como chiclete, grudam em nossa cabeça.

Cléo tem de tudo para ser sucesso. Agora nos resta esperar um álbum mais completo, que com certeza será diverso e trará muita coisa bacana para curtirmos.

Ray Of Light 20 Anos

Há 20 anos era lançado um dos álbuns mais aclamados da carreira de Madonna. Após um começo de década onde cantou sobre liberdade sexual e empoderamento feminino, a cantora se reinventou com um disco cheio de caráter pessoal e reflexões lançado em 3 de Março de 1998.

A maior diva pop de todos os tempos, tinha acabado de ter sua primeira filha, Lourdes Maria, e entrado para o mundo da Kabbalah. Isso se refletiu e muito em seu sétimo álbum “Ray Of Light” com produção de William Orbit, um dos grandes nomes da cena eletrônica da época pela Maverick Records Warner Bros Records.

Para compor a parte visual do disco, Madonna se inspirou em diversos estilos e culturas, criando vários personagens através das roupas de Steven Meisel. Além de apostar no visual com a beleza bem limpa e com cabelos mais ao natural.

A produção discográfica trouxe ao trabalho da artista músicas essencialmente eletrônicas com batidas leves e etéreas, que trazem algumas misturas com o Pop e até com as músicas indiana e clássica. O primeiro single foi “Frozen”, uma baladinha eletrônica com muitas camadas (pouco utilizadas na época). Para mim a faixa me dá a sensação de algo épico.

A primeira música do disco “Drowned World Substitute/For Love” celebra a chegada da filha e do amor que a tirou do mundo das celebridades e da futilidade. Também destaque para “Shanti/Ashtangi” escrita em sânscrito, “The Power Of Goodbye” sobre uma relação com amor e poder e “Nothing Really Matters” totalmente autobiográfica. Dando título ao álbum “Ray Of Lght”, tem uma pegada eurodance com riffs de guitarra, sendo uma das faixas mais empolgantes.

Capa de “Ray Of Light”

Uma das melhores canções é “Little Star” que tem uma instrumentação muito bela junto a batidas eletrônicas e traz a voz da cantora de uma maneira mais leve. Quase como se estivéssemos sendo levados a um transe.

Ao todo, o disco vendeu 18 Milhões e 720 mil cópias no mundo todo, sendo um pouco mais de 4 Milhões nos Estados Unidos. Até então era o disco mais vendido da Rainha do Pop.

Com capa trazendo foto do peruano Marik Testino, treze faixas e uma reflexão sobre a solidão, a maternidade, o amor e a fama, este CD vendeu 3 Milhões de Cópias em apenas 18 dias, sendo sucesso de crítica e público. Rendeu também 4 prêmios Grammy, um deles de Melhor Álbum Pop.

Segundo a Revista Slant, ‘Ray Of Light’ é “uma das maiores obras-primas pop dos anos 1990″ e ” suas letras são simples, mas sua declaração é grande”. Já David Browne do Entertainment Weekly disse “Madonna tem sido mais relaxada e menos superficial do que tem sido nos últimos anos”.

Gravado em Hollywood nos estúdios Larrabee North Studios de Julho à Dezembro de 1997, sem dúvidas este álbum trouxe inovação na carreira de Madonna, conquistou novos fãs e trouxe uma bela mensagem para o mundo todo. Não é à toa, que é um dos favoritos por muitos dos súditos da Rainha até hoje, após tanto tempo.

Um disco totalmente atemporal, com um alcance vocal maior de Madonna, resultado de suas aulas de canto para o filme “Evita”. Um clássico que não pode faltar em sua coleção.

CDs Que Amamos : Formula Vol 2

Hoje o Me Gusta relembra um grande sucesso de Romeo Santos. Lançado em 2014 pela Sony Music, “Formula Vol. 2” estourou pela América Latina e Estados Unidos se tornando um dos maiores êxitos do Rei da Bachata.

Com 19 faixas em sua Deluxe Edition (duas a mais que a standard), o álbum vendeu mais de 660 mil cópias, sendo 245 só nos Estados Unidos e a Revista Billboard americana o considerou um dos mais importantes lançamentos do ano. A produção foi por conta do próprio Romeo que escreveu todas as letras.

Misturando Bachata com o Tango, o primeiro single “Propuesta Indecente” chegou ao terceiro lugar da Billboard Americana entre os discos latinos mais populares e na posição 79 do ranking geral. Seu clipe gravado em Buenos Aires com direção de Joaquín Cambre e participação da atriz Eiza González ganhou o Premio Lo Nuestro como melhor vídeo do ano.

Destaque para as faixas “Necio” com participação de Santana e sua guitarra, “Eres Mía”, a música do ciumento romântico e que vê o ciúme como demonstração de afeto e cuidado e “Odio” com Drake que nos EUA foi a música mais vendida das plataformas digitais.

Mistura de ritmos com a Bachata não falta nesta produção. Junto a salsa “Yo También” conta com a participação de Marc Anthony que emprestou sua assinatura musical à faixa que não te deixa parado. E quem poderia imaginar Bachata junto ao Reggae? E não é que deu certo? Prova disso é a canção “Fuí a Jamaica” que arrebata o coração da gente.

Romeu Santos deu um belo recado com “No Tiene La Culpa”. Este hino à favor da diversidade e contra o preconceito, nos lembra que não temos culpa de sermos quem somos e que devemos ter orgulho de nós mesmos, sem temer o julgamentos dos outros.

Com maior roupagem Pop, “Animales” conta com a participação de Nicki Minaj que deu um toque todo especial ao CD e se destacou por onde tocou. E não tem como não amar “7 Dias”, uma das melhores e que com frases em inglês trás um belo pedido de casamento.

A mais Pop de todas é “Trust”, que tem participação mais do que especial de Tego Calderón e possui uma levada bem envolvente que nos dá vontade de dançar. Perfeita pra nos divertir e fazer esquecer os problemas.

E qual a fórmula do sucesso deste disco, continuação de ” Formula Vol. 1″? A resposta é simples. Poucos artistas que cantam Bachata fazem misturas com outros ritmos. E esta diversidade conseguida por Romeo Santos de forma muito bem feita e pensada, foi o diferencial para conquistar seus fãs e novos públicos.

Esta produção discográfica é um excelente trabalho de Romeo que jamais passa batido para quem a ouve. A voz macia e bela do cantor é gostosa de ouvir e junto ao bom gosto do artista e qualidade das letras, resulta em canções inesquecíveis e envolventes.

Man Of The Woods

No segundo dia de Fevereiro, Justin Timberlake finalmente mostrou ao mundo todo, o seu quinto álbum “Man Of The Woods” pela RCA/Sony Music.

A produção ficou nas mãos de uma equipe renomada composta por Justin Timberlake, The Neptune, Timbaland, Danja, D-Roc, Eric Hudson e Rod Knox que soube fazer um trabalho exemplar e de muita, mas muita qualidade.

Justin escolheu o nome do álbum como uma homenagem ao seu filho Silas, pois o seu nome significa ‘Homem da Floresta’. Este título também nos trás um ar de simplicidade e um tom orgânico.

Segundo o artista “Este álbum é realmente inspirado no meu filho, na minha mulher e na minha família, mas, mais do que qualquer outro álbum que eu tenha feito, é de onde sou. É pessoal”.

Ao todo são 16 faixas, incluindo os singles “Filthly” com suas batidas eletrônicas eletrizantes que dão um toque todo conceitual e moderno, sendo um hino contra a falsidade dos que tocam em você com suas mãos sujas e hipocrisia e “Supplie” cheio de referências da cultura ocidental desde seu início, passando por todo o seu desenvolvimento e que fala sobre ser um porto seguro de alguém.

Não posso deixar de dizer como eu fiquei empolgado com a música “Midnight Summer Jam” que nos põe para dançar e tem um gingado todo envolvente trazendo o melhor do Pop juntamente a elementos eletrônicos. Quando a escutei fui logo remetido ao single “Sexy Back” (do álbum “Future Sex/Love Sounds”) pois suas batidas tem uma pegada bem similar.

Destaque para “Wave” que apesar de ter um arranjo um pouco repetitivo e marcado, não é nada enjoado e para “The Hard Stuff” que vem com uma construção vocal incrível e um som que mistura o Folk ao Country.

Uma porção do disco é bem R&B. A bela participação de Alicia Keys dá para a faixa “Morning Light” influência do Soul a tornando gostosa de ouvir, ‘good vibe’. “Flannel” é muito emocionante e traz um choro na voz de Timberlake, já “Montana” tem uma construção melódica sofisticada e envolvente.

Duas canções mais diferentonas, chegaram para conquistar a todos. “Man Of The Woods” dá voz a um homem simples com muito amor e orgulhoso por sua amada, que de forma despretensiosa faz uma linda declaração. E trazendo a colaboração de Chris Stapleton, “Say Something” nos lembra que às vezes a melhor maneira de dizer algo é não dizendo nada e tem uma pegada Country com um pouquinho de elementos eletrônicos e Folk, além de um lindo coral composto por 60 vozes.

Foi muito bom também ver muito bem explorado todo o potencial vocal de Justin com seus agudos em “Higher Higher”, uma declaração para um amor, a princípio proibido e que supera qualquer barreira durante o passar do tempo.

Fechando com chave de ouro o disco temos a homenagem do artista para o seu filho Silas Timberlake. “Young Man” através de sua pegada Soul, mostra um pai que quer mostrar ao filho como ser um homem de bem, trazendo bons exemplos e educação. Logo no início ouvimos o som da voz de Silas ainda bebê falando “Da Da” e no final sua voz mais autualizada dizendo “Papai” e “Te amo papai”. O pequeno completa 3 anos de idade em 2018.

Ouvir esse CD foi uma experiência muito bacana. Ele me trouxe emoção, vontade de dançar e cantar, além de me fazer esquecer todo o meu redor e o tempo passar. As músicas, sem exceção nenhuma, nos envolve e foram muito bem pensadas e produzidas, com uma diversidade de sonoridades que conversam muito bem durante todo o disco, uma com a outra.

Justin Timberlake garante que ao fazer o disco, pretendia refletir o lugar onde cresceu e sua música, porém de uma maneira moderna. E é isso que ele conseguiu.

Em 2016, quando estava começando a produção, o cantor resumiu muito bem o disco que temos hoje finalizado. “Creio que o lugar onde cresci tem uma grande influência. Eu cresci no Tennessee, bem no centro do país. Memphil é conhecida como lugar de origem do Rock and Roll, mas também a casa do blues. Mas Nashville stá bem perto,então há uma boa quantidade de Country”.

“Man Of The Woods” promete ser um dos maiores sucessos deste ano e com toda convicção, digo que é um dos melhores álbuns da carreira de Justin Timberlake.

EP “Diferentão”

Uma das maiores revelações musicais de 2017, Kell Smith acaba de lançar nas plataformas digitais o seu EP “Diferentão” com duas faixas inéditas.

A cantora teve mais de 2 milhões de ouvintes mensais no Spotify esse ano e 65 milhões de visualizações no YouTube se tornando um grande fenômeno de popularidade. Para fechar 2007 em grande estilo, nos deu de presente essas novas canções que vão te conquistar em cheio.

A primeira, ‘Diferentão’ fala sobre alguém que de tão simples se torna belo ao tentar ver sempre o lado positivo e gentil da vida. Com um ritmo envolvente temos uma mistura de Ska com Reggae, com direito a metais no refrão.

Já ‘Maktub’ (termo árabe que significa “já estava escrito”) é um pouco mais suave com um arranjo conduzido por violão e piano, onde Kell usa com muita sabedoria modulações vocais. Uma faixa positiva que fala sobre amor e destino e nos lembra que o que tem de acontecer vai rolar e da melhor maneira possível.

O novo EP foi produzido pelo renomado Rick Bonadio e tem tudo para ser sucesso no país todo. Sobre os novos síngles, a cantora explica ” Meu trabalho, a forma de compor, continue igual. Só sei e quero escrever sobre coisas reais, sobre verdades”.

Com o seu carisma e sua bela voz, Kell Smith promete em 2018 crescer ainda mais sua popularidade e cada vez firmar mais ainda seu nome na música brasileira.