Accetto Miracoli

Tiziano Ferro lança pela Universal Music seu sétimo álbum “Accetto Miracoli”, que ele mesmo define como “fresco, honesto, energético, nascido da necessidade de me entregar a novas experiências”.

Dessa vez o artista escolheu para a produção do trabalho um dos maiores nomes do mundo em termos de produção musical, o renomado Timbaland.

Sobre seu novo disco, um dos italianos mais queridos do Brasil revela “Para mim representa um novo começo, uma mudança da qual senti a necessidade, sem no entanto ter planejado. O título parecia extremo no começo, mas certo, porque o registro fala sobre os pequenos milagres e as grandes revoluções que aconteceram na minha vida. Às vezes temos que nos render ao nosso destino, sem forçar nada e é nesse momento que os milagres acontecem e as coisas vão melhorando mais do que esperamos”.

Quando começamos a ouvir o CD, de cara já nos deparamos com duas músicas bem fortes e intensas. “Vai Ad Amarti” tem uma pegada meio R&B, com um pouco de Trap e reforça a importância do amor próprio.

Já “Amici Por Errore”, apresenta um arranjo muito bem construído e maduro com instrumentos de corda, acompanhados por uma interpretação emocionada e visceral. Uma música sobre amizade fortalecida por problemas durante um relacionamento.

Para participar do disco foi chamado um dos maiores nomes da música italiana, o cantor Jovanotti, uma escolha é mais do que acertada. “Balla Per Me”, mostra que as vozes dos dois combinam muito juntas. E o mais bacana é que a maneira com que essas vozes foram divididas, deu uma dinâmica nesta bela canção o que nos faz nos sentirmos livres.

E não tem nada melhor do que o amor. E este belo sentimento é expressado em “In Mezzo A Questo Inverno”, que leva a nossa emoção lá em cima. Quem já teve um amor, que ajudou a encarar ‘os invernos da vida’, com certeza vai se identificar muito com este tema.

O amor também aparece em “Seconda Pelle”. Durante os versos da canção que são falados, temos a expressão de sentimentos internos que nos consomem. No refrão, que é cantado, vem à tona os sentimentos de alguém que se sensibiliza com nossas questões e nos fortalece, ao sentir a mesma coisa que sentimos e nos amar, dando todo o apoio.

Destaque para “Le 3 Parole Sono 2”, uma canção gostosa de ouvir e cheia de atitude com backing vocals que soam como ecos. Uma espécie de conselho para sempre seguirmos em frente, com esperança, atitude e cabeça erguida, apesar de todos os problemas que podem nos abalar e que podemos sempre resolver.

Uma das melhores canções do disco, é “Buona (Cattiva) Sorte”. Arrisco dizer que é também uma das melhores da carreira de Tiziano. Uma música forte e intensa sobre a importância de termos sempre amor próprio e não baixarmos a cabeça diante de alguém ou de alguma situação.

Pra finalizar, “Accetto Miracoli” nos emociona de imediato e tem uma das letras mais belas deste trabalho e um lindo arranjo com piano e instrumentos de corda. Um tema sensível, sobre a marca que uma pessoa pode deixar em nós e como isso, junto as nossas experiências, pode melhorar a nossa vida e nossa confiança em nós mesmos. A versão em espanhol desta música tem a participação especial da cantora Ana Guerra.

Realmente esse é um dos melhores álbuns de Tiziano Ferro. O artista mais uma vez mostra porque é um dos melhores e maiores cantores da Itália, em toda sua maturidade musical.

Um disco muito inspirador e intenso, que deu à Tiziano uma maior diversidade de ritmos e sonoridades, sem que ele perdesse a sua essência. Todas as faixas conversam muito entre si e nenhuma se destoa.

Neste trabalho, é muito rica e positiva a maneira como o cantor se coloca diante do mundo e de seus sentimentos em cada uma das 12 músicas. Tiziano Ferro com suas mensagens positivas, nos inspira a levar a vida com mais leveza e sempre acreditando muito em nosso potencial e no amor, para sermos felizes e passarmos pelos obstáculos da vida.

O álbum também ganhou uma versão toda em espanhol (“Acepto Milagros”) e pode ser encontrado em CD, disco de vinil e nas plataformas digitais de música.

Romance

Uma das maiores estrelas pop da atualidade Camila Cabello lança o seu segundo álbum “Romance” pela Sony Music.

Para o novo trabalho a artista usou a matemática do amor. “Eu só queria que esse álbum mostrasse como é se apaixonar, coisa bem impossível de fazer, mas posso dizer que dei tudo o que tinha. Eu nunca vivi tanto a vida como escrevendo este álbum”, revela Camila.

A cantora também, conta um pouco sobre o contexto em que preparou o novo trabalho “Realmente não tive a experiência normal de sair com os amigos, ter encontros e frequentar a escola. Quando eu tinha 20 anos, que foi quando comecei a fazer esse álbum, era o momento que eu realmente tive tempo de sair para viver a vida. Todo esse álbum é apenas sobre a intensidade de, sabe, estar em um relacionamento sério pela primeira vez, se apaixonar”.

Com 14 faixas, o disco começa com uma das melhores músicas da carreira de Camila. “Shamless” é uma canção bem Pop/Rock diferente do que ela vinha fazendo e mostra a evolução vocal da artista. Incrível.

Cada vez mais a cantora mostra que sabe usar agudos muito bem e é isso que vemos no refrão de “Living Proof”, uma canção cheia de personalidade.

Neste disco aparece bastante, as raízes latinas da artista. “Should’ve Said It” é um tema bem marcante com um toque dramático, que mais uma vez explora os agudos nos vocais e com essência latina (que lembra a sonoridade de músicas de Carlos Santana).

“My Oh My”, já revelada como single, também traz a essência latina de Camila misturada com Pop e ainda o Hip Hop, trazido por Da Baby que participa da faixa.

A outra canção que explora bem a latinidade de Camila e tem a mesma pegada da música “Havana” do álbum anterior, é o dueto com Shawn Mendes, “Señorita”. O duo do casal, se tornou também um grande hit. Para se ter uma ideia do sucesso, “Señorita” é a música mais executada no Spotify em 2019 com mais de 1 bilhão de streamings e seu clipe é o 19º mais curtido no You Tube neste ano.

Camila Cabello com Shawn Mendes

Uma grata surpresa é a envolvente faixa “Liar”, inspirada no namoro de Camila com Shawn Mendes. O Saxofone, junto com batidas que lembram batuques feitos pelo corpo, faz com que ela não seja uma canção óbvia. Sem esses elementos, seria apenas mais uma canção pop entre tantas.

Destaque também para outras duas canções, que trazem uma Camila romântica e emotiva. “Fell It Twice” é uma linda música, com uma interpretação calma e emocionada da cantora, digna de um Diva Pop e com um belo arranjo de cordas. “This Love”, tem uma guitarra bem marcada se combina muito com a voz de Camila que usa agudos muito bem colocados. Uma das melhores músicas do álbum.

E o disco fecha com chave de ouro, através de “First Man”, onde Camila usa sua voz de maneira mais suave ao falar do primeiro amor de uma garota. Uma faixa emocionante, sensível e leve que toca nosso coração, com sua letra e seu arranjo com direito a Piano e tudo.

“Romance” em alguns momentos lembra um pouco o álbum de estreia de Camila Cabello, porém a maior parte do novo trabalho traz um Pop Rock que ainda não tinha sido explorado por ela e também se aprofunda mais nas referências da Música Latina e da origem da própria artista.

Camila soube fazer um disco bem intenso e experimentar novas sonoridades e caminhos para sua arte, imprimindo sua própria identidade musical e deixando sua marca na Música Pop Mundial. Um álbum coeso, cheio de personalidade e canções que conversam muito entre si.

Vemos também a impressionante maturidade vocal de Camila Cabello, que está usando sua voz cada vez melhor e explorando diversas nuances.

Assim como Camila Cabello disse, é um disco sobre “amor intenso, se apaixonar e coração partido”.

CDs Que Amamos : For Your Entertainment

Um pouco mais de oito meses após ficar em segundo lugar na oitava edição do programa American Idol, Adam Lambert lançava o seu primeiro álbum “For Your Entertainment” em 23 de Novembro de 2009.

Lançado pela RCA (com distribuição da Sony Music no Brasil), o disco foi um grande sucesso de público e critica vendendo mais de 2 milhões de cópias no mundo. São 13 faixas mais uma bônus produzida por Dr Luke, Max Martin Rob Cavallo, Linda Perry, entre outros.

Para a estreia, Adam trouxe um álbum Pop com influências do R&B, da Música Eletrônica, do Europop e principalmente do Rock. Nos Estados Unidos o trabalho estreou de cara em terceiro lugar no Top 100 da Billboard e foi muito bem definida pela de The Huffington Post como um clássico instantâneo.

O primeiro single “For Your Entertainment”, mostrou bem o que poderíamos esperar do disco, o que provavelmente fez com que ela se tornasse o nome dele. Uma música bem dançante que mostra toda a potencia do Adam e com bastante guitarra, algo típico tanto do Rock como do Europop.

Outro grande sucesso e que foi música de trabalho é “Whataya Want From Me”. E ela foi um presente da cantora Piknk que a compôs pro disco e se tornou uma canção aclamada pela crítica e uma das mais icônicas pelo público.

O terceiro single “If I Had You”, ao ser lançada ficou entre as dez primeiras posições em países como Austrália, Estados Unidos, Canadá, Nova Zelândia e Finlândia. A música, que é a favorita de quem vos escreve, é cheia de sintetizadores (típico do Europop) e cheia de atitude.

Algo que Adam Lambert sabe muito bem fazer são os agudos. Isso vemos em “Music Again” sobre um amor avassalador e que tem guitarra bem pesada e agudos muito bem encaixados. Também vemos isso em “Sure Fine Winners”, O que é uma das melhores músicas do CD que tem uma pegada bem rock. Uma música que poderia muito bem ser gravada por uma grande banda, bem roqueira.

Uma música que me arrepia todo sempre que escuto (e imagino que pra muitos) é “Soak”. Acompanhando Adam temos o som do piano, que junto à interpretação visceral do cantor e a letra, faz dela uma canção linda e muito emocionante.

Destaque para “A Loaded Smile”, um tema que nos faz nos sentirmos mais leves. Nela, Adam usa sua voz de uma maneira mais aguda e isso junto a distorções no arranjo, a torna ainda mais envolvente. Uma das mais belas canções da carreira do artista.

Até a Lady Gaga (com Jeff Bhasker) compôs para Adam. “Fever” é bem sexy e mostra todo potencial vocal do cantor. É bem a cara da nossa Gaga e casou muito bem com este disco e com a sonoridade de Lambert.

Muitas vezes nos sentimos perdidos e uma música que nos faz lembrar que para tudo tem solução é “Aftermath”. uma faixa bem pop rock de encorajamento que fala que não importa que queiram nos puxar para baixo, sempre podemos conseguir tudo o que desejamos e dar a volta por cima.

O bônus do disco fez parte da trilha sonora do filme “2012”. “Time For Miracles” é simplesmente linda e gostosa de ouvir. Uma faixa inspiradora sobre pequenos milagres do dia a dia.

O sucesso do álbum foi tão grande que nos Estados Unidos ele ganhou uma Deluxe Edition com quatro canções extras (“Master Plan”, “Down The Rabbit Hole”, “Voodoo” e “Can’t Let You Go”), todas elas empolgantes, que conversam muito com as outras canções e com grande influência do Rock. A turnê do álbum ganhou também um CD e DVD ao vivo, o “Glam Nation Live”.

O disco de estreia de Adam Lambert é bem moderno para a época em que foi lançado, por trazer diversas referências diferentes e principalmente por suas pitadas de Rock’n Roll. Tudo isso fez com que o artista pudesse imprimir bem a sua identidade musical.

É também um trabalho que abriu outras portas para Adam. Junto com o seu segundo disco, o artista chamou mais ainda a atenção do grupo Queen, que inclusive já tinha tocado com ele na final do American Idol. Graças ao seu talento e sua voz, anos depois, Lambert foi chamado para fazer shows como vocalista do Queen e até hoje, vira e mexe, eles fazem turnês juntos.

Um disco icônico até hoje, um dos favoritos dos fãs de Adam Lambert e muito importante e impactante para o Pop e pra música mundial.

CDs Que Amamos : Femme Fatale

Em 2010, no dia 02 de Dezembro, aniversário de Britney Spears, a cantora anunciou o lançamento de “Femme Fatale”, seu sétimo álbum da carreira.

“Eu entreguei meu coração e minha alma neste álbum nos últimos dois anos. Nele, eu coloquei tudo que tenho. Este álbum é para vocês, meus fãs, que sempre me apoiaram e que ficaram torcendo por mim a cada passo do meu caminho! Eu amo todos vocês! Sensual e forte. Perigoso e ainda misterioso. Legal, mas confiante. Femme Fatale”, contou Britney Spears.

Entre o anúncio e a estreia, duas músicas já mostravam o tom do novo trabalho e o que podíamos esperar dele. “Hold It Agaisnt Me”, que antes tinha sido oferecida à Katy Perry que recusou, veio como um Pop bem dançante que mostrou o grande amadurecimento de Spears como artista. A faixa inclusive estreou em primeiro lugar no Top 100 da Billboard Americana.

A Princesa do Pop, lembrou também a todos nós que devemos aproveitar a vida ao máximo, já que não sabemos quando o mundo vai acabar com “Till The World Ends”. Era uma prévia da influência da música eletrônica neste projeto.

Eis que em 25 de Março de 2011 aconteceu o lançamento mundial do disco pela Jive Records (com distribuição da Sony Music no Brasil). Para a produção musical foi escolhida a dupla imbatível da música pop, Max Martin e Dr Luke (mais colaboradores).

O disco tem uma sonoridade Pop bem atual, que se mistura com Electro Pop, e Música Eletrônica (inclusive Trance e Dubstep) e traz bastante sintetizadores e guitarras. “Femme Fatale” estreou já em primeiro lugar em países como Brasil, Austrália, Estados Unidos e Canadá e entre as 10 primeiras posições na Alemanha, na Dinamarca e na Finlândia.

Mais diva do que nunca, Britney abordou muito bem a liberdade sexual e o empoderamento feminino no empolgante hit “I Wanna Go”, e na faixa “Holl I Roll”, que nos faz nos sentirmos muito livres.

E trazendo ainda mais um pouco de sensualidade, “Inside Out” é uma daquelas músicas que quando a gente escuta e está sozinho, imaginamos aquela dancinha sexy entre quatro paredes com alguém especial. Certeza que muita gente já passou por isso ao escutá-la.

O álbum também teve duas participações para lá de especiais. E o mais interessante, é que as duas faixas trazem as batidas da Música Eletrônica e um quê de Hip Hop trazido por seus participantes.

Britney Spears queria uma cantora com a qual se identificasse e que estivesse em início de carreira e para o dueto em “(Drop Dead) Beautiful”, a favorita de quem vos escreve, a escolhida foi a talentosa Sabi. E realizando um grande sonho de Britney, Will I Am (do Black Eyed Peas) escreveu, produziu e participou de “Big Fat Bass”, para nos fazer dançar muito.

Destaque também para a animada “Trouble For Me”, que para mim soa muito boa para escutar quando se está viajando e para relaxar, se esquecer dos problemas.

E o romantismo não ficou de fora. “Criminal”, retrata um amor bandido e que resiste aos riscos que ele pode causar e à reprovação das pessoas. Aqui no Brasil a música já estreou em primeiro lugar, nas paradas de sucesso.

Sem dúvida, “Femme Fatale” é um dos melhores álbuns da carreira de Britney Spears e um dos grandes ícones da cultura pop últimos anos, vendendo cerca de 3,2 milhões de cópias no mundo todo, sendo em torno de 1,8 milhão só nos Estados Unidos. Mais um grande sucesso da loira, que inclusive rendeu uma das turnês americanas mais lucrativas e que ganhou registro em DVD.

Em resumo, é um disco feito para a gente dançar e se divertir e que tem todos os elementos que um bom apreciador da Música Pop adora. Britney Spears conseguiu mostrar a artista grandiosa e antenada que sempre foi e adoramos, através de um Pop encorpado e com outros ritmos englobados.

O álbum também ganhou uma deluxe edition com 4 faixas a mais (“Up N’ Down”, “He About To Lose”, “Selfish” e “Don’t Keep Me Waiting”).

Spectrum

Após nove anos separados, o Westlife está de volta com seu novo álbum, “Spectrum” lançado pela Universal Music.

Com 11 faixas, que trazem o bom e velho Pop com maestria, o trabalho foi produzido por uma equipe renomada e talentosa composta por Steve Mac, Zack Skelton, Jamie Scott, Benny Blanco e Alex Charles.

Capa de “Spectrum”

Dessa vez o quarteto teve um braço direito de peso em cinco canções. Estou falando de Ed Sheeran, que escreveu essas letras especialmente para o disco. Vamos falar um pouquinho delas?

O primeiro single, mostra toda evolução vocal do grupo e já é um grande sucesso. “Hello My Love”, é um Pop dançante que lembra o início da carreira dos meninos, e ao mesmo tempo com um ar bem moderno.

“Better Man”, nos inspira a ser uma pessoa melhor através do amor. nessa faixa a divisão de vozes dos garotos foi muito bem orquestrada e sem dúvidas é uma das mais lindas canções do disco.

O mais importante que temos na vida é nossa família. E é sobre ser pai e ter uma família, que fala a letra de “My Blood”, que foi inspirada na paternidade, algo em comum entre os integrantes. Emocionante e inspiradora, é dedicada a todos os filhos e pais do mundo, inclusive os do coração.

As duas outras músicas de Ed, também são grandes destaques. “Dynamite” é super empolgante e tem uma pitada de música eletrônica. E “One Last Time” é leve, muito bela e apresenta uma abertura de vozes muito bem pensada, que resultam em harmonia.

Uma das melhores músicas do álbum, e que arrisco a dizer que também é uma das melhores da carreira da boyband, é “Take Me There”. Uma música para cima e gostosa de ouvir, que lembra bastante sonoridade do Coldplay.

E quem nunca se sentiu perdido sem alguém que adora. É sobre isso que fala a linda, sensível e emocionante “Without You”, que tem de tudo para ser uma das mais queridas do público nesse novo disco.

Outro destaque que chamou atenção, foi a faixa “Repair”. Nesta canção, as vozes aparecem de uma maneira mais limpa e sem firulas, e surpreende ao apostar em agudos, de uma maneira que lembra bastante os usados pelo Bee Gees. E como não amar “L.O.V.E”? O arranjo dessa música é envolvente e faz nos sentirmos mais leves. Nos deixamos levar pela música. É muito amor!

O Westlife conseguiu fazer um disco bem Pop, que manteve sua essência e com músicas que lembram um pouco as mais antigas, mas que ao mesmo tempo trazem modernidade, arranjos mais maduros e com uma sonoridade variada, que vai do Pop mais tradicional até um Pop com ares eletrônicos.

Um dos integrantes, Shane quando o grupo anunciou o retorno, falou sobre esta nova fase e ao escutar o novo disco, vemos que o resultado ficou como ele disse. Segundo ele na época, “Precisamos ser um Westlife 2.0, uma versão melhor de nós mesmos. Queríamos vir de volta e recriar o som do Westlife, mas melhor e ser uma banda melhor. A coisa mais importante para qualquer banda, é a música”.

É muito gostoso perceber que o Westlife voltou mais unido do que nunca e mais maduro. nesse novo trabalho as divisões de vozes foram feitas de maneira muito inteligente, o que fez com que cada um deles tivesse o mesmo destaque nas músicas. Isso traz ao grupo, uma unidade mais coesa e harmônica .

Um disco para ouvir muitas e muitas vezes. Um dos melhores da carreira do Westlife.

111 (Parte 1)

Dia 1º de Novembro foi aniversário de Pabllo Vittar, e para comemorar a artista lançou a primeira parte do álbum “111” no mesmo dia.

Para a parte inicial do novo disco trilíngue pela Sony Music, foram escolhidas quatro canções com muita personalidade e empoderamento. A produção é do talentoso Rodrigo Gorki.

“Esse algum é uma grande playlist de aniversário. É para cima, divertido e está cheio de participações muito legais”, adianta Pabllo.

Capa de “111” – Parte 1

E ela completa, “Quando decidi fazer o ‘111’, quis ir fundo em todas as lembranças de meus aniversários. chegamos em 10 faixas que me remetem lembranças, alegrias e momentos marcantes da minha vida”.

A primeira faixa “Parabéns” tem participação especial de Márcio Victor da Banda de Axé, Psirico. Sem dúvida, uma das melhores músicas da carreira de Pabllo Vittar, que mistura Axé e Tecnobrega. Sobre o hit, Vittar conta, “Marca minha premissa de músicas com raízes brasileiras no repertório. Além disso consagra uma parceria feliz com Márcio Victor”.

Uma das queridinhas dos fãs é “Amor De Que”, um tecnobrega bem humorado, sobre aproveitar a vida e a juventude, ficando e ou amando quem bem entender.

Grande destaque a primeira canção em inglês de Pablo. “Flash Pose”, ganhou um toque todo especial com a participação de Charli XCX e já é um enorme sucesso, tendo cerca de 16 milhões de streams no Spotify. “A música me remete muito às baladas e à cultura LGBTQ+, sempre que escuto me dá vontade de ir para uma parada do orgulho e viver meu lado queer”, relata Pabllo Vittar.

Preferida por quem vos escreve, a primeira faixa da cantora em espanhol “Ponte Preta” trás um Reggaeton com um toque bem eletrônico e que lindamente celebra a diversidade etnica, de raça, sexual e cultural. Pabllo está de parabéns, por seu espanhol muito bem pronunciado.

A artista fez um projeto que transparece sua personalidade. Segundo ela, “Algo bem mais pessoal mesmo. Eu tô colocando todas as músicas que eu gosto e que os ritmos são aqueles que o Pabllo, não a Vittar, mais ouve em casa e gosta pra caramba. São essas outras áreas trabalhando a PC music e o eletrônico, mas sem esquecer as batidas brasileiras, porque é quem eu sou e faz parte de mim”.

A segunda parte do álbum “111”, traz seis músicas e o lançamento acontecerá em 2020. Assim que ficar concluído, provavelmente o disco ganhará versão física.

A primeira parte do projeto, já mostra que Pabllo Vittar está totalmente pronta para se jogar na carreira internacional. Também vemos muito bem a evolução dela como artista e como a cantora, soube mostrar com bom gosto e faixas muito bem produzidas, a sua personalidade e verdade artística. Um belo trabalho.

Já estamos ansiosos para a última parte, que sem dúvidas, será sensacional.

Que Quiénes Somos

Pela Sony Music, o grupo latino CNCO lança “Que Quiénes Somos”, seu novo trabalho em forma de EP com 7 músicas.

Um dos garotos, Christopher Vélez, revela que o quinteto esteve mais presente na confecção das canções e afirma “Escrevemos cerca de 85% e estamos muito felizes com isso”.

Trazendo Reggaeton e uma pitada de Pop, a faixa que abre o disco é o primeiro single “De Cero”, uma das mais animadas e queridas dos fãs e que fala sobre dar uma nova chance ao amor.

E como não amar a envolvente “Pegao”, com a participação de Manuel Turizo. Essa é uma música bastante Pop com um toque de Reggaeton e nela, a gente nota bem o amadurecimento local dos meninos do CNCO e como eles, consegue encorporar bem o Pop ao seu trabalho.

E se é Reggaeton Romântico que você quer? É Reggaeton Romântico que você terá com “Que Va A Ser De Mi”, uma das melhores canções do álbum. E romance também está em “La Ley”, que foi lançada um pouco antes do lançamento e se tornou queridinha do fãs.

E a mais latina de todas as músicas do novo trabalho, é sem dúvida, “Ya Tu Sabes”. Os meninos inovaram em seu som, ao trazer uma pegada bem de Salsa, que aparece no começo da música e se mantém como base até o fim. Lembrando que nessa canção, temos o sample de “Rie y Llora,” da cantora cubana Célia Cruz.

“Essa música já era uma das minhas favoritas quando Zabdi, Richard e eu estávamos escrevendo juntos, mas teve muitas mudanças antes entrar no EP. No momento em que eles adicionaram o sample da música da Célia, ela ficou ainda melhor. Deu-lhe um toque especial que a torna ainda mais especial pra mim. É diferente de todas as nossas outras músicas, e é por isso que realmente se destaca para todos nós”, conta Erick Cóbon, o cubano do grupo.

Mas o grande destaque é “Tóxica”. Nela o CNCO mostra como eles sabem cantar muito bem a capela (sem instrumentos) e fazendo uma abertura de vozes impecável, dignos dos grupos vocais mais incríveis do mundo. Uma faixa sobre uma relação tóxica, com letra sensível e bela demais.

O ponto mais alto do novo trabalho do CNCO, é a maturidade não só vocal como artística. Eles conseguiram mostrar que estão mais prontos do que nunca para estourar no mundo todo e que estão cantando melhor ainda que antes.

Nas canções, os produtores souberam muito bem usar a combinação das vozes e também fazer em uma ótima divisão, qual deles cantaria cada trecho das faixas. Um disco que trouxe um Reggaeton mais Pop, mas sem perder a essência do grupo e desse estilo musical urbano.

O único porém, é “Pretend” não ter entrado para a lista de músicas do novo álbum. Sentimos falta dela, que conversaria muito bem com o disco.

Ainda não temos a informação, se este terceiro álbum do CNCO será lançado em formato físico.

Além Do Tempo

Larissa Manoela cresceu e entra em uma nova etapa de sua carreira musical. Aos 18 anos lança o seu novo trabalho, “Além do Tempo” pela Deckdisc.

O responsável por produzir o álbum com 12 faixas, foi um dos maiores produtores musicais do Brasil e que entende tudo de música, Arnaldo Saccomani.

Sobre o disco, Larissa revela “O álbum vem marcando muito a minha fase de transição [de criança para adulta]. É tudo mais maduro. É além do tempo”.

O primeiro single “Hoje A Noite É Nossa” é um Pop com elementos eletrônicos e chegou um pouco antes do lançamento para mostrar como Larissa é poderosa e cheia de atitude. A única faixa produzida por Hitmaker.

“Desencosta” segue a mesma linha e super dançante vem com o bom e velho ‘girl power’, trazendo empoderamento ao falar da garota cheia de atitude e que sabe o que quer, além de ser segura de si mesma.

E claro que o romantismo não poderia ficar de fora. O amor está no ar com a delicada e sensível “Somente Um Pedido”. O namorado da cantora, Léo Cidade participa da bela canção “Pra Nós Dois” sobre um amor que chegou pra mudar a vida e trazer segurança.

Destaque para “Meu Menino” que fala sobre amor e cumplicidade e nos inspira a acreditar no amor de verdade, uma das melhores músicas do álbum. E um dos maiores acertos é a faixa “Linha Imaginária”. Divertida e pra cima, encoraja as garotas a serem fortes e decididas.

Duas canções também se destacam por suas mensagens. “Além do Tempo” tem tudo a ver com a transição da adolescente pra mulher, ao falar como o tempo, nos faz crescer e assim mesmo diante das incertezas da vida, nos faz ter esperança e ir atrás dos sonhos com mais segurança.

E “Criar Asas” vem com muita positividade para lembrar que devemos sempre acreditar nos nossos sonhos, a não ligar para o que dizem
e que um mundo melhor começa pela gente.

Mais madura, Larissa revela “Participei de todo o processo e na escolha das músicas, que mostram uma nova fase de amadurecimento e de crescimento. As canções refletem bem o que eu quero dizer. A ideia é trazer fãs que me acompanham há tempos e os novos que agora poderão dançar e curtir”.

Em seu novo álbum, a artista soube fazer muito bem a transição de seu trabalho adolescente para o adulto, trazendo músicas que o público que cresceu com ela vai amar e ao mesmo tempo conversa, com os fãs mais jovens, adolescentes.

Realmente esse novo álbum de Larissa Manoela é um divisor de águas, que mostra como ela amadureceu e chegou com tudo pra mostrar sua identidade musical e que sabe como ninguém fazer música pop de qualidade.

Ela é uma grande inspiração para as garotas serem elas mesmas, terem atitude, serem empoderadas e não terem medo de ser feliz.

E pode escrever, Larissa Manoela ainda será uma das maiores cantoras do Brasil.

CDs Que Amamos : 4º Xou da Xuxa

Após quatro álbuns, no dia 11 de Julho de 1989, Xuxa lançava o seu “4º Xou da Xuxa” pela Som Livre. O resultado não poderia ser outro, mais uma vez a Rainha dos Baixinhos foi campeã de vendas.

Com 14 faixas e produzido por Michael Sullivan e Paulo Massadas, o disco rendeu diamante duplo pela venda de cerca de 2 milhões e 900 mil cópias, se tornando até hoje o quinto disco mais vendido da história da música brasileira.

Um dos maiores clássicos da loira, “Tindolelê” foi apresentado neste trabalho e nunca mais pode sair do repertório de shows. Não há quem não lembre desta canção tão animada.

E quem nunca cantou “Bobeou Dançou”? Lembro que quando criança eu achava esse titulo bem divertido e ela se tornou bem marcante. E todo mundo também já sonhou em ter Xuxa como madrinha e com “Dinda ou Dindinha” pelo menos na imaginação isso foi possível. A gente se sente abraçado pela artista ao ouvir.

Uma das canções mais lindas da carreira da apresentadora é sem dúvida “Milagre da Vida”. A campeã dos especiais de natal dela, ensina as crianças a darem valor à vida e à natureza. Missão sempre da Rainha.

O disco tem uma canção inteirinha interpretada por Amanda do Trem da Alegria. “Recado Pra Xuxa” foi originalmente gravada para o especial de aniversário de 26 anos da Xuxa e reflete todo carinho e respeito dos fãs com essa artista e mulher tão especial.

Outro destaque é “Remelexuxa” que mais uma vez trouxe a Lambada e já fez todos nós dançarmos muito. E pra finalizar nossa Rainha Xuxa fez um alerta contra as drogas em “Alerta”, dando continuidade à conscientização, marca registrada de seus programas.

A capa desse disco é considerada uma das mais bonitas da discografia de Xuxa, que contou um pouco sobre ela “Foi no final de março, início de abril tinha ganhado muitas flores no meu aniversário. Eu que me maquiei, arrumei meu cabelo”.

A imagem ficou tão bonita que acabou sendo escolhida como capa e outras fotos do ensaio também foram divulgadas. Depois foram feitas mais fotos com um figurino inspirado na cultura espanhola, que foram usadas na contracapa.

Mais uma vez Xuxa trouxe muita energia positiva e belas mensagens em seu trabalho. E isso ajudou e muito no sucesso que o disco teve. Além disso ela e sua equipe sempre foram muito cuidadosos com o repertório e sempre souberam o que a crianças queriam ouvir.

Um clássico qua gente não cansa de amar e escutar!

Todas as fotos de Andrew Wanderley

Anti-Herói

O cantor e compositor Jão lança “Anti-Herói”, o segundo álbum de sua carreira todo inspirado pelo fim de um namoro.

Lançado pela Universal Music, o novo trabalho tem produção de Los Brasileros com dez faixas que trazem letras maduras e cheias de sentimentos.

Jão revela, “Fiz um álbum sobre o amor. No sentido mais cruel da palavra. Não se trata de romantizar a tristeza, mas de normalizar”.

Capa de “Anti-Herói”

Abrindo o disco, já cheio de emoção, “A Última Noite” cai como o momento da despedida de um relacionamento que teve seus bons momentos mas chegou ao fim.

Sem dúvida, uma das canções mais especiais do álbum é o seu primeiro single “Enquanto Me Beija”, talvez o mais emocionante e que fala do fim de uma relação e é também um pedido de desculpas. Uma das poucas faixas produzidas por Paul Ralphes.

Para quebrar um pouquinho o clima mais delicado e emocional do disco, duas canções chegam para dar uma animadinha. “Essa Eu Fiz Pro Nosso Amor”, dá até para dançar e lembra de alguém que fez diferença na vida do outro.

Já a bem humorada “VSF” chega quebrando tudo ao mandar se fuder, alguém que não assumia o parceiro diante dos outros. O mais bacana desta faixa é que ela é contraste com a carinha de bom moço de Jão. É a outra canção produzida por Paul Ralphes.

Destaque destaque para “Barcelona”, responsável por trazer um toque bem latino, através do ritmo do Flamengo. Nela, a cidade espanhola é cenário para um cara a lá Don Juan. Particularmente, essa música me fez imaginar um ‘latin lover’ andando pelas ruas da cidade com seu ar galanteador.

Outra música que remete ao fim de um namoro é “Fim de Festa”, também uma das melhores e mais bem escritas faixas. E quem nunca demorou para desistir de alguém que empaca nossa vida? É disso que fala “Você Vai Me Destruir” que com sua letra traz bastante identificação com quem a escuta.

Jão, nesse segundo trabalho mostrou maior maturidade e nele, podemos perceber o quão inspirado estava o escrever suas canções.

Um álbum arrebatador, que pega bem na da nossa alma e na nossa memória afetiva, através dos diversos sentimentos que uma relação ou o fim dela podem nos causar e que todos já sentimos em algum momento.

Todas todas as canções trazem identificação de quem ouve, pois cada faixa nos transporta para alguma situação ou sentimento que já vivemos ou presenciamos.

Um disco daqueles que queremos ouvir muitas e muitas vezes. Um lindo trabalho de Jão.

CDs Que Amamos : Para Olvidarte De Mí

No dia 15 de agosto de 2008 os fãs do RBD foram pegos de surpresa por um comunicado do grupo a imprensa contando que o grupo iria terminar e que os shows iriam só até Dezembro.

Os rebeldes também comunicaram que lançariam o último disco com canções inéditas em estúdio. E foi no dia 26 de janeiro de 2009, que mesmo após eles terem se separado, foi lançado o single “Para Olvidarte De Mí”, que daria nome ao álbum de despedida.

Os fãs ficaram muito felizes com a nova canção que foi tão bem recebida por todos. E o mais bacana é que ela era homenagem dos integrantes aos fãs. Uma faixa madura e com uma distribuição das seis vozes muito bem feita. Emocionante.

Finalmente no dia 10 de Março, foi lançado aquele que seria o CD de despedida do RBD pela EMI Music. Para ele foram escalados os dois produtores que acompanharam o sexteto ao longo da carreira, Armando Ávila e Carlos Lars. Também participou o produtor MachoPsycho.

Para abrir o disco fomos presenteados com “Camino Al Sol”, uma faixa inspiradora que nos incentiva a viver com o máximo de alegria, a nunca desistir de nossos sonhos e objetivos e a não se deixar vencer, se hoje não for um bom dia.

Destaque para “Mírame”, onde Maite Perroni e Christopher von Uckermann dividem os vocais, sendo acompanhados dos amigos apenas no refrão. Isso foi muito bacana, pois muitas vezes os dois eram subestimados como cantores e em muitas canções do grupo, cantavam poucas parte sozinhos ou nenhuma. Foi uma oportunidade de relembrar o quão talentosos são.

As três mulheres do grupo, ganharam bastante destaque em algumas canções. Em “Quién Te Crees?” elas cantam sozinhas e dividem por igual as vozes para falar de quebra de confiança em uma relação. As três ficam a frente de “Más Tuya Que Mía” que nos convida a darmos valor em nós mesmos.

Além disso, Anahí aparece solo, com os companheiros no backing vocal do refrão, em “Desapareció”, que é uma das favoritas dos fãs já foi cantada por ela em shows da carreira solo. E Dulce Maria também tem seu solo em “Lágrimas Perdidas” sobre estar melhor só do que mal acompanhada.

Reafirmando a maturidade do grupo, pela primeira vez um álbum deles ganhou uma música toda eletrônica. “Puedes Ver, Pero No Tocar”, ganhou efeitos de voz tipicos do gênero eletrônico e uma letra cheia de atitude. Foi dado bastante destaque ao Alfonso Herrera nessa faixa, algo que conquistou a todos, já que ele sempre foi o que menos se mostrava ao cantar, por opção própria mesmo, talvez porém segurança por sempre ter gostado mais da arte de atuar como ator.

Um disco de despedida não podia deixar de ter aquela canção para fazer chorar. “Adiós” é a última canção e um verdadeiro poema de despedida. Na letra, o RBD agradece o carinho e o apoio do seu público e também lembra que é a hora de dar adeus para poder dar vida a uma nova etapa e seguir novos horizontes. Uma canção que também lembra que o coração de cada um deles estará sempre conectado aos nossos. Impossível não se emocionar!

“Para Olvidarte De Mí”, Sem dúvida é um dos melhores e mais bem produzidos e maduros álbuns do RBD. Tanto as letras como os arranjos das canções, são muito bem pensados e maduros. É uma pena que não tenha dado tempo, do disco ser mais divulgado e ganhar mais singles, além de seu único. E dá um certo vazio, lembrar que eles nunca cantaram nenhum dos temas em show do sexteto.

Antes mesmo de ser lançado, alguns críticos musicais e até fãs, diziam que este disco iria fracassar em vendas e popularidade. Mas não foi isso que aconteceu. No mundo todo foram vendidas mais de 3 milhões de cópias, o que reafirmou a força do talento e do fenômeno que se tornou o RBD. E os fãs gostaram muito do resultado.

Último encontro do RBD em Janeiro de 2009 para a coletiva de imprensa do lançamento do álbum. Alfonso estava gravando um filme e não pode participar.

CDs Que Amamos : Os Dedinhos

Em 1991, Eliana apresentava o programa “Festolândia” no SBT, onde apresentava desenhos animados pra criançada.

Muito inteligente, a jovem loira que apresentava a atração e na telinha aparecia da cintura para cima e sozinha, descobriu uma maneira de dar coreografia a sua música.

A canção escolhida foi “Os Dedinhos”, a versão em português de um hit francês. Enquanto cantava, Eliana apresentava o nome dos dedos para os pequeninos, usando as mãos para coreografar. O mais bacana é que ela descobriu esse sucesso, ouvindo temas infantis com seus sobrinhos.

Foi então que em 1993, já apresentando o “Bom Dia e Cia” que “Os Dedinhos” foi lançado no primeiro álbum da Eliana de mesmo nome, em LP e Fita K7 pela BMG em 10 de Maio.

O sucesso foi imediato e os pais do Brasil inteiro foram até as lojas comprar o disco. O resultado foi a vendagem de cerca de 500 mil cópias, rendendo à loira, o Disco de Ouro.

No mesmo ano a faixa “Amiga”, entrou na abertura da novela “Garotas Bonitas” do SBT, uma faixa alegre sobre o poder da amizade e com um arranjo que lembra o Rock da década de 1980.

O disco conta também com quatro medleys de duas músicas cada, com clássicos infantis que toda criança conhece, como “Bata Palmas”, “O Sapo Não Lava o Pé”, “A Dona Aranha” e “Os Indiozinhos”. Nelas, Eliana canta acompanhada de um coro infantil e estimula a garotada a cantarem sozinhas alguns trechos.

A apresentadora e cantora, também estimula as crianças à exercerem a imaginação com o single “Era Uma Vez”. E ainda uma música que é a cara de uma festa infantil, “Abracadabra”. Uma homenagem ao mágico, O que é muito animam festas infantis.

“Direito De Sonhar”, é uma das melhores faixas do disco. Ela nos dá mais esperança por um mundo melhor e por um futuro mais próspero pra mulecada. Algo ainda tão atual.

Para terminar com chave de ouro, temos “Rebú No Pomar Do Japonês”. Essa é uma das músicas preferidas dos fãs de Eliana e que estimula os meninos e as meninas a se interessarem a comer frutas, um alimento tão importante.

O álbum de estreia de Eliana, que tinha antes integrado o grupo pop As Patotinhas, é um clássico da música infantil brasileira e que além de encantar as crianças, resgata músicas conhecidas por várias e várias gerações e estimula o aprendizado e a imaginação das crianças.

Matéria dedicada ao amigo Lucas, que na infância curtiu muito o som de Eliana e que sugeriu essa pauta.

CDs Que Amamos : Sexto Sentido

Em Dezembro de 1992, a rainha Xuxa gravou sou último programa “Xou da Xuxa” e anunciou uma pausa.

Particularmente mesmo com meus 7 anos de idade na época, achei que essa pausa duraria muito. Mas felizmente nem completou dois anos. No dia 23 de Agosto de 1994, a Rainha dos Baixinhos, lançou o seu décimo álbum “Sexto Sentido”, junto à sua volta à TV com o programa “Xuxa Park”.

Há 25 anos, o disco produzido por Michael Sullivan, foi lançado pela Som Livre e marcou o trabalho de Xuxa para o público infanto-juvenil, que cresceu durante sua carreira.

Muitas das músicas, do total de 14, fizeram super sucesso naquela época, tanto que a turnê sexto sentido só terminou em 1996. Até hoje estes hits são lembrados e reverenciados pelos fãs.

Pela primeira vez, Xuxa investiu no Dance Music, na faixa “Hey DJ” que empolga a todos com suas batidas eletrônicas bem marcadas. Mesmo mais sendo mais Pop, as batidas eletrônicas também estiveram em “Chocolate”, regravação da música do Trem da Alegria de 1985, dando uma nova roupagem, mais moderna mas sem perder a essência. Inclusive Xuxa insistiu por dez anos pra gravar essa canção e finalmente, conseguiu.

E quem não gosta de “Pipoca”? Esta foi mais uma grande sacada que fez todo mundo lembrar da infância. Quem nunca esteve num sofá e recebeu pipoca de sua mãe ou vó? E no cinema, então?

“Sexto Sentido”, deu nome ao disco e nos inspira a irmos atrás de nossos sonhos e lembra que o impossível não existe. Uma canção com arranjo lindo e uma letra impecável.

O alto astral esteve em alta com “Rir É O Melhor Remédio” que fez toda a garotada dançar e se divertir. E quem nunca brincou de rimar e de malhar ao som de “Jogo Da Rima”? Esse hit até hoje é um dos queridinhos do público e é uma adaptação de “The Name Game”, sucesso da cantora americana Shirley Elliston.

Destaque para a romântica “Dança Nas Estrelas”, que através da fantasia e do campo lúdico, falou de amor e estar com quem nos faz bem. Também destaco “Happy-Py” com participação de Carlinhos Brown, que também a compôs e que trouxe uma pitada de música latina e nos faz nos sentir numa praia.

A artista também deu voz, à inclusão social em “Muito Prazer, Eu Existo”, em que estimula a todos a dar oportunidades iguais às pessoas e lembrar que todos somos iguais.

Mais uma vez, Xuxa foi campeã de vendas e em popularidade. O álbum vendeu cerca de 1,4 milhão de cópias, rendendo à rainha, disco de Diamante. Além disso tudo, é um dos álbuns favoritos da carreira da Xuxa, por seus eternos baixinhos.

É inegável que “Sexto Sentido” é um dos discos mais bem produzidos de Xuxa e ele conseguiu bem, o papel de fazer a transição do público infantil para o infanto-juvenil. Esse sucesso foi graças não só a qualidade das músicas, como também por misturar canções mais infantis com algumas mais maduras, de forma inteligente.

Um belo trabalho de Xuxa e do produtor Michael Sullivan.

CDs Que Amamos : Meu Momento

Em abril de 2009 Wanessa Camargo lançava seu primeiro single em inglês “Fly” com participação do rapper Ja Rule. A canção é totalmente inspirada na trajetória musical da cantora.

O single que ganhou também uma versão em português (“Meu Momento”), foi composto por Deeplick e seus parceiros e traduz a história de Wanessa que veio de uma família musical e teve de mostrar que realmente tinha talento e que podia trilhar sozinha seu caminho.

Foto: Henrique Gendre

Segundo Wanessa sobre “Fly”, “Parece que eles pegaram o meu espírito, leram meus pensamentos e escreveram com a minha mão”.

A cantora também faz uma reflexão sobre a expectativa das pessoas “Não acredito que todo mundo tenha essa idéia, mas eu sei que existem pessoas que tentam jogar meu trabalho para baixo e que me encaram como uma menina que só está na música pelo fato de meu pai ser Zezé di Camargo e isso não tem nenhum cabimento. Ajudou no começo para abrir portas, nunca deixei de falar isso, mas isso não mantém nenhuma porta aberta”.

Essa primeira canção, que indicava futura carreira internacional, já mostrava que Wanessa Camargo iria lançar um trabalho, que fosse bem a cara dela e Pop. E no dia 2 de Junho, foi lançado o seu sexto álbum de estúdio, “Meu Momento” pela Sony Music.

Capa de “Meu Momento”

O disco produzido pelo DJ Deeplick (Fernando Leite) e Denilson Miller, traz 16 músicas bem Pop do jeito que Wanessa sabe fazer muito bem. Um Pop diverso, que se mistura com batidas eletrônicas, R&B e até Hip Hop.

A cantora explica “Foi um CD feito com calma. A gente ficou um bom tempo experimentando coisas. Só quando ele realmente ficou pronto é que a gente mostrou para a gravadora”.

A relação da cantora com seus fãs sempre foi muito próxima e para escolher o segundo single, Wanessa através de seu Twitter, quis saber a opinião de seu público. Seus seguidores então, escolheram a música “Não Me Leve A Mal” como a de trabalho, inclusive esta é a favorita de quem vos escreve, não só do disco como da carreira toda (e até hoje).

A queridinha dos fãs, é bem Pop, tem parte em inglês e parte em português, é forte, empoderada, cheia de atitude e mostra toda a potência vocal da cantora. Wanessa conta, As pessoas se identificavam com essa música, porque quase todo mundo já passou por uma situação como essa. De ter um amigo ou pessoa muito próxima, e descobrir que a pessoa não tem essa fidelidade”.

Foto: Henrique Gendre

Wanessa Camargo também foi percursora neste disco. Uma das primeiras cantoras a gravar em Reggaeton em português. Misturando o ritmo latino com o próprio Reggae, “O Que Vem Do Reggae É Bom” é uma faixa eletrizante e que nos coloca para dançar como se não houvesse o amanhã.

Com esse trabalho, a artista também conseguiu realizar o sonho de gravar com a roqueira mais amada do Brasil, Rita Lee. “Coisas da Vida”, ganhou uma nova roupagem gostosa de ouvir e mais Pop. “Eu sou muito fã da Rita, fanzoca de tremer, e a música dela que eu mais amo na vida é essa. Fez parte da minha história”, diz Wanessa.

Foto: Henrique Gendre

O romantismo também não poderia ser deixado de lado. A bela “Como Eu Te Quis” fala sobre a importância de amarmos sem nos anularmos. Já “Sentido à Minha Vida” é uma bela declaração de amor da artista ao marido Marcus Buaiz.

Outra participação especial é a do cantor Alexandre Carlos. Ele trouxe para o disco um toque de Reggae com “Te Beijar”, uma música sedutora, sexy e com ótima letra.

E não posso deixar de destacar uma das melhores canções deste CD. Com muita atitude e bem eletrônica, “Perdeu” além de ter muita atitude, é um retrato da mulher guerreira, que sabe o que quer e que não abaixa a cabeça por ninguém.

Foto: Henrique Gendre

“Meu Momento” é sem dúvida um dos melhores discos que Wanessa Camargo já gravou. O sucesso foi tão grande que com apenas uma semana de lançamento, se tornou o segundo álbum mais vendido do Brasil, perdendo apenas para “The E.N.D” do grupo The Black Eyed Peas.

Foi um marco na carreira de Wanessa. Projetou a estrela internacionalmente, não só por sua principal música em inglês, mas também por trazer um Pop muito bem produzido e que não deixa a dever, para nenhum produtor ou artista internacional.

Wanessa com Ja Rule em show da turnê “Meu Momento” – Foto: Divulgação

Lançamento – Acústico MTV

Após marcar gerações da década de 1990 e começo dos anos 2000 e entrar em pausa, finalmente o “Aústico MTV” está de volta e o escolhido para marcar o retorno foi Thiago Iorc.

Finalmente a MTV Brasil e a Universal Music divulgam todos os detalhes do lançamento do “Acústico MTV – Tiago Iorc”, além de soltarem novas três fotos.

Foto: Marcos Hermes

A estreia do novo projeto de Tiago acontecerá com transmissão do show pelo canal da MTV Brasil, no dia 19 de Setembro, às 22h com 11 faixas.

O show contou com uma plateia de 250 pessoas em São Paulo e teve participações de Jorge Drexler na música “Me Tira Pra Dançar” e de Duda Beat em “Tangerina”.

Foto: Marcos Hermes

A partir do dia 21 de Setembro, o show completo estará disponível na plataforma “MTV Play”. Além das onze músicas apresentadas na TV, mais nove completam o show. O repertório traz as nova canções do disco “Reconstrução” que marcou a volta do cantor na carreira artística, grandes sucessos e algumas inéditas.

Foto: Marcos Hermes

Lembrando que a partir da meia-noite do dia 20 de Setembro as canções do “Acústico MTV – Tiago Iorc” estarão disponíveis em todas as plataformas.