CDs Que Amamos : Anacrônico

Um dos clássicos de Pitty e do rock Nacional é o álbum ‘Anacrônico’. Quem nunca cantarolou as músicas deste disco? Quem nunca bateu os pés ao ouvir cada hit? E quem nunca teve vontade de ser um rockstar ao ouvir o CD?

Lançado em 21 de Agosto de 2005 pela Deskdisc com 13 músicas compostas por Pitty e seus parceiros, ‘Anacrônico’ foi produzido por Rafel Ramos (e masterizado em Los Angeles por Brian Gardnere) trazendo aquele Rock que nos representa e que só a baiana sabe fazer, com muita qualidade e atitude. A capa do disco é lindíssima e dá o toque final a este clássico. Sua ilustração que retrata bem o anacronismo, sendo bem retrô foi feita pelo artista plástico Edinho Sampaio. Na arte há três garotas que segundo a cantora têm uma malícia não declarada, uma inocência pervertida e  são esquisitinhas, mas interessantes.

Apesar de rock, o álbum anterior era mais melódico e este trouxe um som mais pesado com um maior uso de guitarras pela artista. As letras falam dos pensamentos de Pitty e como ela vê o mundo e em partes até biográficas. Segundo a roqueira, “Faço críticas, falo de liberdade, o jeito que a gente vive”.

Sobre este trabalho ser mais pesado sonoramente, ela declarou “Não foi algo consciente fazer esse CD mais pesado, não foi verbalizado. Acabou ficando do jeito que eu sempre quis, mas para onde não sabia chegar. Os temas são parecidos com os do primeiro disco, só a forma de falar é que mudou”.

Os singles fizeram muito sucesso e até hoje são lembrados e amados. ‘Anacrônico’ nos lembra a mania do ser humano de não mudar as coisas e seu interior, apesar do mundo em sua volta estar mudando, evoluindo e exigindo que você tome uma atitude. ‘Déjà Vu’ mostra algo bem recorrente em nossas vidas, o sentimento de se estar esgotado e também sobre não sofrer mais com certas coisas que já nos afetou.

anacronico

‘Memórias’ com certeza é uma canção de fácil identificação ao falar de memórias que podem ser como fantasmas em nossas vidas. O clipe desse tema levou os prêmios de ‘Melhor Videoclipe do Ano’ no Prêmio Multishow 2006 e ‘Melhor Clipe’ pela audiência do VMB no mesmo ano. Para completar, a música venceu o prêmio Bizz de 2007 como ‘Música do Ano’.

E a música favorita de quem vos escreve ‘Na Sua Estante’ é até hoje uma das mais aclamadas de todo repertório de Pitty. Uma música de amor, daquelas de cortar o coração e tocar nossa alma. E para falar do quanto mais temos, mais queremos sem nos darmos conta disso e como isso nos afeta, ‘De Você’ é bem direta e foi o último single do disco.

Além dos singles, todas as outras músicas são igualmente incríveis e valem a pena serem escutadas com muita atenção e certamente falam e muito conosco. Destaque também para ‘Ignorin’ U’ em inglês, ‘Brinquedo Torto’ que fala sobre rótulos e o que a sociedade nos impõe criticando todo um sistema e ‘Quem Vai Queimar’ que propõe uma reflexão sobre a as atrocidades do mundo e como as padronizações afetam nossas vidas.

A repercussão do álbum foi totalmente positiva e resultou na venda de 700 mil cópias físicas, superando o primeiro disco (“Admirável Chip Novo’) e aumentando ainda mais a popularidade desta grande artista. Pitty mostrou o poder da mulher no Rock e que todo mundo pode gostar do gênero, independente de ser ou não um de seus favoritos. O Rock é universal, fala a todos e isso mais do que foi provado com ‘Anacrônico’.

Anúncios