Me Gusta Entrevista : Mariana Fagundes

Nesta Terça, dia 25, o Portal Me Gusta teve o privilégio de entrevistar uma das maiores cantoras do sertanejo atual, Mariana Fagundes na sede da Universal Music em São Paulo.

Fui recebido por ela de braços abertos com muita simpatia e carinho. Um daqueles abraços que você sente na hora que é de verdade e caloroso. Nós conversamos sobre carreira, música e claro, o novo single “Simbora Beber”. Saiba tudo que conversamos e conheça um pouco mais desta artista, da qual você vai se apaixonar.

Amor Pela Música

A música surgiu de forma bem natural e espontânea na vida de Mariana. Sua família é muito musical e além disso, ela teve contato com a arte circense.

A mãe de Mariana já percebia o talento da filha para cantar quando ela era ainda muito pequena e cantava músicas de ninar.

No Mato Grosso do Sul, onde ela cresceu, a música tinha um espaço enorme, e desde pequena começou a cantar em eventos, até que mais tarde participou de uma banda baile que trouxe muita bagagem musical por cantar diversos estilos e muitas vezes atender pedidos de músicas que não estavam programadas.

A cantora é muito feliz em ter nascido em uma família com muitos talentos e cheia de cantores e compositores. Além de muito orgulhosa de ter a inspiração do seu tio Vicente Dias, compositor de muitos sucessos da música brasileira.

A certeza em seguir a música sertaneja foi decorrente de sua participação no quadro “Tem um cantor sertanejo lá em casa” do programa da Eliana.

Composição

Seu processo de composição acontece de forma bem natural. Às vezes a música surge meio que do nada e até em momentos do dia-a-dia comuns como arrumar a cozinha. Sua maior inspiração é nos momentos em que está feliz.

Banda Baile e Programas De TV

Ter participado de uma banda baile foi muito enriquecedor na vida e carreira de Mariana Fagundes.

Assim como qualquer cantor ela pôde conhecer mais sua voz e ter um maior contato com o seu público, que inclusive pedia músicas, o que era um grande desafio, assim como ficar horas e horas em pé.

Ela se tornou também mais espontânea no palco e teve maior percepção de como conduzir melhor o seu próprio show.

Mariana participou no começo de carreira de programas de apresentadores queridos pelo público como Raul Gil, Eliana e Rodrigo Faro. Segundo ela, era muito bacana e as primeiras vezes davam muito medo, causado por sua inexperiência. Ela também conheceu melhor o universo da televisão e como funciona.

Foto: Divulgação

Renato Teixeira

Mariana Fagundes gravou dueto da música “Vagalume” com o gigante do sertanejo, Renato Teixeira. E claro não podíamos deixar de falar sobre a realização deste sonho.

Para a cantora parecer inacreditável e quando começou a gravar com ele começou a chorar de tanta emoção. Conta que Renato é uma aula, com quem aprendeu muito e teve o privilégio de tornar-se amiga.

Ela me contou que gravar com ele foi uma grande responsabilidade, por ele ser um artista de tamanha relevância e talento, uma oportunidade única. A música gravada é uma composição dos primos de Mariana e foi muito gratificante emocionante poder representar sua família naquele momento tão importante.

“Simbora Beber”

O novo single “Simbora Beber” foi o escolhido para apresentar o seu trabalho para quem ainda não conhecia, a nível nacional, por ser contagiante e de grande identificação.

Gravar o clipe da canção foi muito divertido e deu muito frio na barriga por mesmo sem ser atriz ter o desafio de atuar pela primeira vez. Ela teve coragem e deu o seu melhor, mergulhando de cabeça naquele momento tão único.

Foram muitas horas de gravação e dedicação e ela teve de tomar muita água, uma vez que dentro dos copos usados não poderia ter álcool. Ter a participação de Lorena Improta, que acreditava demais em seu trabalho a ajudou muito. Foi também um prazer gravar com Karla Alcântara, de quem é muito fã. Foi uma gravação muito alto astral.

Mulheres No Sertanejo

Por muito tempo a mulherada tinha muita dificuldade por estar no meio cheio de duplas masculinas. Roberta Miranda e Inezita Barroso, foram as primeiras a quebrar os estereótipos e artistas como Marília Mendonça e Simone e Simaria começaram a dar continuidade nisso.

Para Mariana, os maiores fatores que contribuíram para o sucesso das mulheres, foram a qualidade das músicas e o fato delas falarem o que as mulheres queriam ouvir. Através das vozes femininas, foi possível expressar a força das mulheres e que elas podem fazer tudo o que desejam e que têm os mesmos direitos dos homens.

Foto: Facebook Oficial de Mariana Fagundes

Inspiração e Projetos

Eu quis saber quais eram as maiores inspirações de Mariana Fagundes na música. Dentro do Sertanejo a cantora gosta muito do trabalho de Marília Mendonça, Luan Santana, Jorge e Mateus e Henrique e Juliano. Por ser uma artista completa, a sua maior inspiração é o fenômeno Ivete Sangalo, de quem é fã desde menina.

O próximo passo da carreira é a divulgação do novo EP e junto com a Universal Music poder traçar as estratégias para potencializar a divulgação, os shows e novos lançamentos. Há também o desejo de gravar um DVD e um CD, o que ainda está em aberto.

Nos shows de Mariana, podemos esperar muita energia de uma cantora que não se intimida e se joga com o povo. Um show “massa”, alegre, para cima com uma outra música romântica apenas.

Foto: Facebook Oficial de Mariana Fagundes

Redes Sociais

Perguntei para a Mariana qual a importância das redes sociais para sua carreira.

Ela conta que através das redes pode mostrar quem ela realmente é, e não só apenas como cantora, mostrando o seu dia a dia, o que a aproxima mais das pessoas. É um meio muito rápido de divulgação e de troca entre fã e artista.

Novos Artistas

E qual a dica de Mariana Fagundes para os cantores que estão começando agora?

Mariana diz “não desista, vai em frente”. Reconhecimento chega com o tempo e trabalho, que deve ser feito com muito amor para dar o melhor de si e com muita fé em Deus.

Foto: Facebook Oficial de Mariana Fagundes

Foi muito bacana conversar com Mariana. Uma artista muito talentosa que compõe e canta como ninguém. Antes da entrevista em uma sala, sem a ver, ouvi ela cantar ao gravar um vídeo pra imprensa. Que voz linda e potente, além de limpa e afinada. Eu literalmente fiquei arrepiado ao ouvir. Fazia tempo que não me sentia assim. Emocionante.

Durante nosso papo, Mariana Fagundes mostrou muito brilho nos olhos ao falar de sua trajetória e de música. Sua paixão pelo que faz, nos inspira e nos faz acreditar que nossos sonhos podem se realizar.

Além disso me senti muito acolhido com sua simpatia e seu abraço. Aquele abraço de verdade. Além de muito interativa durante a entrevista.

Com certeza é uma das melhores cantoras, não só de sertanejo, mas também do Brasil. Muito sucesso e coisas boas ainda estão por vir.

Texto e Entrevista por André Rossanez

Eu com Mariana Fagundes após a entrevista
Anúncios

Melim – Lançamento do CD

Na Quarta, dia 13, o Portal Me Gusta teve a alegria de prestigiar na sede da Universal Music em São Paulo, o lançamento do primeiro álbum do Melim. Mais uma vez fui recebido por eles com muito carinho e muito brilho em cada olhar. Sabe quando te abraçam de verdade?

Fizemos uma roda de conversa com os irmãos que vem conquistando cada vez mais o país. Junto comigo nesta entrevista coletiva, estavam o Vi si Coruja, o Se Joga, o Pop Now e Garota Agridoce. Fizemos rodadas, onde cada um fez sua pergunta. Foi um papo muito gostoso qie depois foi seguido pelo pocket show do Melim para convidados. Você vai ficar por dentro de tudo que falamos e do que rolou neste dia tão especial.

A Entrevista

Questionados sobre o trabalho entre irmãos, o Melim nos contou que o desafio é medir a intimidade entre eles para que não atrapalhe no lado profissional. Quando somos íntimos de alguém, a gente tem muita liberdade, inclusive na maneira de falar, sem ligar pro modo como serão feitas as coisas. As vezes eles tem que medir como falam e o que falam. O bom de trabalharem juntos é que eles sabem que podem falar tudo, que o outro vai entender, vai saber que é pro bem. Não tem a quela coisa de falar sem saber se o outro reagirá bem.

Sobre o novo disco, os irmãos revelaram que a escolha do repertório foi perfeita, nenhuma das músicas podiam ficar de fora. Foram escolhidas as que mais se encaixavam na good vibes, característica do grupo.

Assim como cada fã, o Melim também tem sua música do álbum mais queridinha. E são duas. “Meu Abrigo” que foi escolhida como primeira música de trabalho logo de cara e o mais novo single “Ouvi Dizer”.

Sobre a mais romântica do disco, “Dois Corações”, Rodrigo revelou que ela,foi escrita para sua namorada e que quando ele cantou pra ela pela primeira vez, se emocionou tanto que chorava muito e quase não conseguiu terminar de cantar.

Ao escutar o álbum pela primeira vez, eu fiquei imaginando a “Maju”, protagonista da música com o nome dela. Eu então perguntei quem era a musa da faixa. Gabi me contou que ela é uma junção de muitas mulheres, aquelas batalhadoras que bancam suas atitudes e convicções, de fibra, independente.

Uma curiosidade que sempre eu tive foi de saber como os meninos faziam a divisão das vozes nas canções. Cada música isso acontece de uma maneira. Às vezes quem mais gosta da música ganha a maior parte, quando acham que determinada parte combina mais com uma voz feminina é a vez de Gabi, etc.

O processo de composição dos cantores não tem uma regra. Às vezes a melodia vem antes da letra, outras a letra vem antes e além de terem composições em conjunto, algumas são feitas individuais. Em alguns casos eles percebem que duas músicas que foram começadas e os três não terminaram, podem ser juntadas e se transformarem em uma única.

Sobre compor para outros artistas, o Melim se sente extremamente realizado. Sobre parcerias Rodrigo sonha em cantar com Ivete Sangalo, Gabi adoraria um dueto com Natiruts e Diogo acharei incrível dividir o palco com Sandy.

O Pocket Show

Após nosso delicioso bate-papo fomos presenteados com animado e emocionante pocket show que reuniu amigos, imprensa e a família Universal Music.

“Meu Abrigo” iniciou a apresentação com muita emoção, visível no rosto dos irmãos e contagiando e levantando a plateia.

A aclamada “Ouvi Dizer” foi cantada por todo mundo que tinha na ponta da língua a letra e o mais bacana, mais adiante na apresentação do trio, descobrimos juntos a eles que o clipe da faixa atingiu um milhão de views no You Tube.

A fofura tomou conta da sede da gravadora com “Avião De Papel” e o amor encheu os nossos corações com a linda “Dois Corações”, que particularmente me emocionou quando percebi a emoção de Rodrigo ao cantá-la.

Representando as mulheres Maju levantou a galera assim como confusão uma das queridinhas do público e Como não amar “Hipnotizar” e a amável “Apê”? Só sei que Melim mais do que conquistar um apê, conquistou uma mansão em nossos corações.

Assim ganhamos o Bis com “Meu Abrigo” e para comemorar a popularidade no You Tube, “Ouvi Dizer”. Nesta última os três foram passando entre o público, cantando com olho no olho e Rodrigo fez um lindo gesto, o de estender o microfone para cantarmos com ele. Deixei a vergonha de lado nesse momento e cantei com muita alegria. Confesso que foi mágico e emocionante.

Foi a coisa mais linda ver três jovens fazendo o que mais amam, com tanto amor e entrega. Além de talento e afinação, Gabi, Diogo e Rodrigo são sensíveis amorosos e acolhedores com seu público. E suas músicas são incríveis tanto em letra como em arranjos e melodias.

Melim já é sucesso. Certamente vai estourar no país inteiro, conquistarão cada vez mais fãs e nos darão mais e mais canções lindas e cheias de good vibes.

Eu com Melim antes da entrevista

Texto e Fotos de André Rossanez

Me Gusta Entrevista : Gabily

Nesta Segunda, o Portal Me Gusta teve a oportunidade de conversar com a cantora Gabily por telefone para uma entrevista.

Extremante simpática, pela voz consegui perceber o entusiasmo da artista e o seu amor ao falar de sua arte. Falamos sobre o novo single (“Toma”), os novos rumos da carreira da cantora, projetos e você vai ficar por dentro das novidades de Gabily.

Foto: Pedro Gualberto

“Toma”

O novo single toma já existia em uma versão somente com a cantora. O seu produtor achou que seria interessante que houvesse uma voz masculina para a acompanhar na faixa e então apresentou a ela o trabalho do Mc WM. Gabi adorou o trabalho do artista e então o convite foi feito. O Mc adorou a ideia e prontamente aceitou.

Novo Clipe

Perguntei para Gabily como foi gravar o vídeo de “Toma”. A cantora se inspirou no clipe de “Dance For You” da diva pop Beyoncé e usou alguns elementos da produção gringa.

Além disso o figurino e o roteiro do clipe foram totalmente pensados por ela. Foi a primeira vez que a artista tomou frente 100% do processo de criação de um clipe, o que o tornou muito especial.

Foto: Pedro Gualberto

Repercussão

O Me Gusta não podia deixar de perguntar como está sendo a repercussão do público com “Toma”, principalmente pelas mulheres.

Inicialmente Gabily não esperava que a recepção das pessoas com a música seria tão positiva. Infelizmente com o machismo de hoje ainda existem muitas pessoas com dificuldade de aceitar esta mulher cheia de atitude e que é totalmente independente. Porém a aceitação de todos foi ótima.

As mulheres se identificaram muito com a canção e se sentem representadas, o que deixa a cantora muito realizada.

Ludmilla

Voltando um pouco na carreira de Gabily, perguntei como surgiu a parceria com o fenômeno do Funk Ludmila na faixa “Você Gosta Assim”.

As duas já eram amigas de longa data e ao ouvir a canção, Gabily achou a cara de Ludmilla e então fez o convite. A amiga adorou muito a música e aceitou o convite com entusiasmo.

Foto: Pedro Gualberto

Novidades

Gabily está reformulando a sua carreira e sua música, incorporando o Funk ao Pop. Logo teremos novos singles dançantes e pelo menos uma música mais romântica.

No momento a cantora vai focar em trabalhar os seus singles. Um novo CD provavelmente só chegará em 2019.

Sobre os seus shows, a cantora conrou que serão bem dançantes. Além disso, cheios de empolgação e muito interativos, do jeito que o Funk pede. Gabily está pensando cada detalhe com muito cuidado e carinho.

Foto: Pedro Gualberto

Não resta dúvida de que Gabily é uma das maiores e melhores revelações da música brasileira. Quem já viu ela no palco pôde notar como a artista é cheia de energia, atenciosa com seu público, super afinada e dança muito bem.

O Portal Me Gusta aposta que Gabily será ainda mais sucesso por aqui e vai estourar também lá fora. É muito bacana ver uma artista tão talentosa expandir seu público e trazer cada vez mais música boa para todos. Sucesso, Gabily!

Foto: Pedro Gualberto

Texto e Entrevista por André Rossanez

Me Gusta Entrevista : Clau

O Portal Me Gusta teve o prazer de no dia 6 de Março, entrevistar na sede da Universal Music em São Paulo, a cantora sensação do momento Clau.

A artista que foi a primeira entrevistada do portal, nesta segunda conversa me recebeu com muita simpatia, brilho nos olhos e seu belo sorriso, acompanhado de muita alegria.

Você vai ficar por dentro de tudo que Clau me contou sobre carreira, música e seu EP.

EP “Relaxa”

Perguntei para a cantora como foi o processo de escolha de faixas e gravação de seu EP “Relaxa”. Ela contou que tinha muitas músicas a serem escolhidas e por isso foi muito trabalhoso escolher as faixas, pois tinham que ser poucas canções para que as pessoas pudessem conhecer melhor o seu trabalho.

Além das faixas já consagradas (“Menina De Ouro” e “Não”) e de uma bela introdução, foram escolhidas “Me Sentir” e “Relaxa”. Esta segunda escolhida como nova música de trabalho por ser mais diferente que as outras e mais Pop.

Anitta

Hoje quem faz o gerenciamento da carreira de Clau é ninguém mais, ninguém menos, do que o fenômeno Anitta.

O presidente da gravadora tinha mostrado para Anitta as canções da cantora, e a funkeira gostou muito do que escutou e do estilo, por ser bem diferente do dela. Assim Anitta quis conhecer Clau e a parceria de trabalho então aconteceu.

Inspiração e Receptividade

Perguntei qual foi a inspiração para a música “Me Sentir”. Clau contou que foi algo bem verdadeiro e para alguém em especial. Já o single “Relaxa” é uma música para cima e com inspiração no amor e na positividade.

Sobre a receptividade do público ao EP, a cantora conta que tem sido ótima e que a galera está curtindo muito, inclusive mandando vários vídeos para ela, onde dançam ao som de “Relaxa”. Clau fica muito satisfeita em ver que todo mundo se diverte com a canção, que é muito bonita.

Os fãs adoraram tanto “Me Sentir” com a participação de Luccas Carlos, que pedem à cantora um clipe da faixa.

Foto: Guto Costa

“Relaxa”

O irreverente clipe de “Relaxa”, segundo Clau, foi muito divertido de ser gravado, inclusive por ela estar de uma forma em que nunca se imaginou ver.

É uma produção diferente do que as pessoas esperariam e que sai daquela coisa óbvia de figurino moderno, que se vê no Pop e no Rap.

Por ver a cantora atuando no clipe, eu quis saber se ela gostaria de ser atriz. A artista gostaria muito, porém este não é o momento. Clau gostaria de aprender um pouco mais sobre tudo e adora toda forma de expressão artística. Neste clipe ela testou uma nova faceta e sentiu o gostinho da atuação, algo que mais para o futuro ela gostaria de aprofundar.

Redes Sociais

Sobre a relação da cantora com as redes sociais, Clau gosta muito da possibilidade de se aproximar mais de seu público através delas.

Muitas vezes a cantora se sente só, em um momento só dela e então posta algo nas redes sociais. Então ela percebe uma troca bem legal com as pessoas que estão passando por coisas parecidas. Além disso é um meio muito importante para mostrar seu trabalho.

Evolução Artística

O que será que mudou na Clau artista após a sua parceria com a Universal Music? Antes a artista veio do interior do Rio Grande do Sul, sem experiência e sem base. A união com a gravadora trouxe amadurecimento e maior segurança como cantora e artista. Poder gravar um CD foi uma grande conquista e um novo amadurecimento.

Foto: Guto Costa

Show

Clau está ainda preparando seu show. Nele, terá um pouco de tudo e a artista pretende mostrar como ela é e que o público perceba a vibe do que canta.

Além disso terá muita dança. Ela fica muito feliz em poder compartilhar com o público e vivenciar uma troca de energia com as pessoas, através da música ao estar em cima do palco.

2018

Os projetos de Clau para este ano, são continuar escrevendo muito, lançar novas músicas e ensaiar bem o show para fazer bem bonito e divertir a galera. E o melhor, Clau confirmou que haverá uma parceria com Anitta, em breve.

Foto: Divulgação

É muito gratificante ter entrevistado Clau em início de carreira e também agora, com maior experiência. Muito bonito ver que a cantora se mantém bem pé no chão, com a mesma simpatia e vibe boa, além de um brilho nos olhos ainda maior ao falar de seu trabalho e projetos.

Sem dúvida, Clau é uma das maiores cantoras de nosso país e arrisco dizer que será conhecida no mundo todo, com seu carisma e seu talento.

Eu com Clau após a entrevista

Texto e Entrevista por André Rossanez

Me Gusta Entrevista : Naiara Azevedo

Dia 7 de Fevereiro foi dia de festa no Big Brother Brasil. Representando a nova geração de cantoras do sertanejo, Naiara Azevedo foi a grande estrela da noite.

A apresentação da cantora, a fez ficar entre os primeiros lugares no Trend Topics brasileiro do Twitter.

Trend Topics Brasil

Apesar do cansaço após o programa, Naiara muito atenciosa, carinhosa e carismática respondeu às perguntas do Portal Me Gusta, falando sobre sua carreira e sobre a sensação de se apresentar no BBB, na casa mais famosa e vigiada do país. Saiba tudo que ela nos contou.

Me Gusta – Como tem sido a recepção das pessoas com seu trabalho e também com as cantoras do sertanejo?

Naiara Azevedo – “Olha tenho sido abraçada de uma forma maravilhosa, incrível. Estamos aí há dois anos e trá lá lá trabalhando no mercado e crescendo, evoluindo, tomando um espaço maior cada vez mais. E as pessoas tem nos abraçado com tanto carinho e tanto respeito. Acho que isso tem feito toda a diferença. A receptividade das pessoas, o respeito, como trabalham. Incrível”.

Me Gusta – Quais são suas inspirações femininas do sertanejo?

Naiara Azevedo – “Olha, feminino no Sertanejo, se eu falar duas é muito pouco. Temos aí Roberta Miranda, Inezita Barroso, Irmãs Galvão, enfim. São n cantoras incríveis entre outras mais. Citei algumas aqui, mas devemos reverência a todas”.

Me Gusta – O que você pode contar sobre sua carreira em 2018?

Naiara Azevedo – “Em 2018 a gente vem dando seguimento nesse trabalho de anos. Esse ano a gente vem com DVD, vem com participações nos trabalhos de outros amigos do meio da música, temos várias músicas inéditas a serem trabalhadas, lançamento de videoclipes e participações em programas de TV. Estamos com a agenda recheada de surpresas e coisas boas para os nossos fãs”.

Me Gusta – Como artista, qual o seu maior sonho?

Naiara Azevedo – Meu maior sonho é poder continuar dando seguimento nesse projeto, nessa carreira que eu tanto almejei, que eu tanto lutei por ela. Apenas continuar dando seguimento ao meu trabalho.

Naiara Azevedo nos bastidores do BBB antes do show / Foto: Divulgação

Me Gusta – O que representa para você se apresentar no BBB, podendo chegar à casa de tantos brasileiros?

Naiara Azevedo – “Para mim é uma honra poder tocar no BBB, eu que acompanho o programa há tantos anos, desde a primeira edição a gente acompanha. Sendo que pra estar lá dentro fazendo show, o artista tem que ter um certo respeito, tem que estar em um determinado patamar. E ter alcançado, ter chegado até lá para mim é indescritível. Estou emocionada até agora, lisonjeada”.

Me Gusta – Qual canção sua não pode faltar nos shows?

Naiara Azevedo – “São diversas. Hoje graças a Deus, nós temos um repertório extenso, onde a gente puxa as músicas e a galera vem junto. Então tem aí, ” 50 Reais”, “Avisa Que Eu Cheguei”, ” Mordida, beijo e tapa” “Mentalmente”, tem a nossa nova música de trabalho “Pegada Que Desgraça”, “Ex Do Seu Atual”. Essas músicas não podem faltar no show de Naiara Azevedo, entre outras. “Radinho Do Seu Zé”, “Inquilino”, várias”.

Me Gusta – Como você vê sua relação com os fãs e o que gostaria de dizer a todos eles?

Naiara Azevedo – “Apenas muito obrigada! E pedir a Deus que abençoe a cada um deles, porque o que eles fazem por mim é indescritível. Sou muito grata a cada fã, a cada pessoa que admira o meu trabalho, a cada sorriso, a cada aplauso, a cada palavra de incentivo. Gratidão!”

2018 promete ser um ano cheio de sucesso e trabalho para Naiara Azevedo, que sem dúvidas é uma das melhores e maiores cantoras do Sertanejo e do Brasil. É muito bacana sentir a paixão que Naiara tem pela música e por seu trabalho ao falar sobre sua carreira.

O Me Gusta faz um agradecimento muito especial para Naiara Azevedo, sua equipe e sua assessoria. Muito obrigado!

Foto: Adilson Cruz

Entrevista e transcrição por André Rossanez

Me Gusta Entrevista : Felipe Araújo

No dia 29 de Novembro, o Me Gusta teve o prazer de entrevistar o novo fenômeno do sertanejo Felipe Araújo na sede da Universal Music em São Paulo. Fui recebido pelo cantor que foi muito receptivo e simpático e logo de cara, bem descontraído e animado, brincou comigo dizendo que eu estava a cara do Di Ferrero do Nx Zero com meu cabelo descolorido. Quem me dera! (risos)

Falamos sobre carreira, música e o que podemos esperar para 2018 e você vai saber de tudo que foi dito.

A primeira coisa que eu quis saber foi de qual maneira sua carreira foi influenciada pelo fato dele ter vindo de família que sempre respirou música desde seus avós. Ele nos contou que influenciou de uma forma enorme, desde criança. O seu pai insistia muito que ele cantasse e no começo ele ficava um pouco triste quando não se saia tão bem. Sua família foi muito importante para o seu trabalho e como inspiração para sua arte.

Sabemos que em breve teremos mais um DVD de Felipe Araújo, que segundo o prório, é segredo e só pode adiantar que se trata de um projeto audacioso. E nos revelou que muita música tinha sido escolhida até o prazo limite e algumas até foram escolhidas de última hora.

Foto: Facebook de Felipe Araújo

Recentemente o cantor fez uma participação especial na faixa x de Bia Macedo e sobre a parceria, ele contou que a conheceu em um show e desde então viraram amigos e parceiros. Devido a agenda, a cantora não pode participar deste novo DVD e então aconteceu este dueto com Bia, segundo ele, um grande talento que terá muito sucesso ainda pela frente.

O single “Amor Da Sua Cama” se tornou um mega sucesso, sendo uma das três músicas mais tocadas do país, o que deixou o artista muito feliz, além de realizado como compositor. Sobre o clipe, nos revelou que foi muito legal gravar, principalmente com Felipe Titto e Carol Nakamura que são pessoas muito humildes, ‘gente boa’ e que foram muito carinhosos com ele.

Para compor as suas músicas o sertanejo se inspira em seus sentimentos e em situações corriqueiras que trazem identificação às pessoas. Muito pé no chão ao ser perguntado sobre seus sonhos como artista Felipe Araújo revelou que deixa tudo na mão de nas mãos de Deus e que já realizou muita coisa e que tudo isso é um resultado de seu trabalho e a sua máxima dedicação. 

Contou também dois de seus maiores sonhos realizados, cantar no Domingão do Faustão e poder dividir o palco com Bruno e Marrone que desde criança são alguns de seus compositores e intérpretes preferidos da música sertaneja.

Perguntei como é sua relação com seus fãs e se já houve alguma loucura feita por um deles. Ele revelou que faz o máximo que pode para ter uma relação bem póxima e atender pessoalmente seu público que muitas vezes ficam horas e horas esperando na fila para vê-lo. Após cada show Felipe Araújo fica cerca de 2 horas  no camarim até atender todos e geralmente recebe cerca de 120 a 170 fãs por apresentação. A maior loucura que uma fã fez foi ir ao seu show sem ter como bancar a sua passagem de volta para a cidade em que morava. 

Felipe revelou que o melhor de seu trabalho é que saber que sua música toca o coração das pessoas, além de mudar e inspirar a vida de seu público. Já a pior parte é ficar muito tempo longe de seus amigos e familiares. O artista está muito feliz com o momento atual da música sertaneja e contou que existe uma forte união entre os artistas sertanejos e que o estilo sempre vem se reinventando sem preconceitos.

Foto: Divulgação

E quais os projetos para 2018? Teremos muitas novidades e músicas apaixonadas que tocarão o coração de todos e também falarão a quem sofre de amor. Alguns shows já foram marcados e será feita a gravação do novo DVD. 

Sobre a música que não pode faltar em seu repertório de shows, ele mencionou seu grande sucesso “Mala Falsa” (uma das favoritas de quem vos escreve).

Foi muito bacana e inspirador ver um artista tão jovem falar com tanto amor e entusiasmo sobre sua carreira. Sem dúvidas, Felipe Araújo que já é sucesso e um dos maiores nomes do Sertanejo, servirá de inspiração para a futura geração de cantores através de seu carisma, humildade e sua linda e afinada voz.

Eu com Felipe Araújo após a entrevista

Entrevista e texto por André Rossanez

Me Gusta Entrevista : Jão

No dia 14 de Novembro, o Me Gusta teve o prazer de conversar com o cantor Jão na sede da Universal Music em São Paulo.

Ao chegar para a entrevista fui recebido com muita simpatia pelo cantor que ao me comprimentar me deu um abraçou bem forte e carinhoso. Ali já percebi o quanto Jão é gente boa e sabe lidar com o público.

Também percebi que ele é um cara um pouco tímido mas que quando se solta é muito desenvolto. Isso fez com que eu me identificasse com ele por ter também esta personalidade.

Jão me contou detalhes muito interessantes de sua carreira e você vai ficar por dentro de tudo que conversamos e se tornará ainda mais fã do cantor.

Música e Inspirações

A música apareceu na vida de Jão quando ele ainda era uma criança “mais esquisitinha assim”, segundo ele. Seus ídolos eram seus amigos, ainda que ele ainda não tivesse a noção exata do que significava ídolo.

Falando em inspiração, atualmente The Weekend é o artista que Jão admira pelo seu som, sua estética e por ser no palcoum cara que se entrega bastante e sem ser engessado.

You Tube e Universal Music

Aos 16 anos Jão começou no YouTube e fez um canal bem precário, porém não gostou do resultado e deixou isso de lado. Depois de um tempo viu que era o momento de voltar a produzir, já que curtia mais suas composições e se sentia mais seguro, pois era muito crítico em relação à qualidade.

Seu primeiro cover foi o da música “Bang” da Anitta. Jão era o único inscrito em seu canal, até que um dia um fã clube da cantora achou o vídeo e começou a divulgá-lo. Anitta inclusive chegou a elogiar a versão em entrevistas. A partir de então vieram vários vídeos de cover.

O sucesso do cover de “Medo Bobo” de Marília Mendonça no YouTube, chamou atenção de Pedro Dash que através do assessor de Jão, o convidou para conversar em sua produtora.

Foram aproximadamente 4 a 5 meses de negociações para Jão assinar o contrato com a gravadora Universal Music. Era medo do artista ficar enjaulado e perder a sua liberdade artística. Ao ver que isso não aconteceria e que teria uma estrutura boa e apoio para bancar suas ideias, fechou o contrato.

Foto: Vitor Manon

Processo de Composição

Na hora de compor o que mais influencia Jão são as suas vivências e as histórias de seus amigos. Festas, faculdade, conselhos amorosos, tudo isso pode ser transformado em canções.

O cantor tem a vibe de falar com a nossa geração, conversar com ela. É uma geração muitas vezes perdida e que precisa de diálogo.

Jão em certos momentos se força para sentar e compor. Mas em qualquer momento pode aparecer uma canção. Muitas nascem, por exemplo, debaixo do chuveiro.

O que mais Jão gosta é quando a letra vem em sua cabeça, junto com a melodia e em cinco minutos já tá pronta. Quando menos eles espera, já está pronta.

Singles “Álcool” e “Ressaca”

Jão lançou os seus dois singles “Álcool” e “Ressaca”. Ambos foram inspirados em seus amigos e festas em que se divertiram juntos.

“Álcool” foi composta a mais ou menos um ano e meio, tempo que ficou na gaveta até ser escolhida. Já “Ressaca” nasceu através de um palpite. No computador de um amigo tinha a palavra ‘ressaca’ que seria um nome forte para uma música e através disso e com inspiração nos momentos com amigos é que surgiu a letra.

Jão está “muito, muito feliz” com a repercussão e resultado das faixas. As pessoas vêm nitidamente que ele está muito feliz, que foi algo muito genuíno e feito com grande entrega. Sobre gravar os dois clipes, segundo o artista foi “Pauleira, tentava descansar e não dava”. Porém “o resultado ficou lindo”.

Dificuldades e Metas

Para Jão, a maior dificuldade que enfrenta é ser “um cara do Pop”, pois é um desafio, já que no Brasil não tem muita referência masculina neste estilo e há um nicho diferente onde ele não se encaixa. As pessoas geralmente esperam num cantor que ele seja Sertanejo Folk ou Funk.

A importância da música na vida do cantor é muito grande. A música o moldou e trouxe muitos ensinamentos. Jão disse “os Ídolos me criaram tanto quanto a família me criou”.

Como artista ele quer “chegar até aonde der e trabalhar muito até a última gota”.

Foto: Vitor Manon

Próximos Passos

E quais os próximos passos na carreira?

O cantor já está pensando nos próximos clipes e já tem alguns roteiros prematuros. Ele quer também fechar algumas parcerias e está fechando alguns shows.

Em breve Jão também lançará o seu primeiro EP ainda sem data definida e que segundo ele, será “o quanto antes possível”. O cantor está ansioso e com uma satisfação muito grande com o rumo de sua carreira.

Novos Artistas

Perguntei a Jão o que diria para os artistas que estão começando. Ele disse que é muito importante importante estudar e ver o quanto a carreira é difícil e descobrir como lidar com um pouco de medo de dar errado.

É um trabalho que requer dedicação total e se deve conhecer os cenários para assim ver o tipo de som que quer fazer e o mais genuíno possível. Também é importante despertar e ter um lado mais malicioso de mercado.

É muito gostoso ver o brilho nos olhos de Jão ao falar da carreira de cantor, sobre suas composições e a importância da música em sua vida.

Jão é o tipo de cantor que o Pop Nacional precisa. Talentoso, com canções muito boas e que trazem grande identificação com seu público, simpático, super afinado, com ótima presença de palco e muito receptivo.

Com fãs apaixonados e fiéis, com certeza o artista já está no caminho de ser um dos maiores e melhores cantores do Pop Brasileiro. E por que não, do mundo?

Com Jão após a entrevista

Entrevista e Texto por André Rossanez

Me Gusta Entrevista : Jehanne Saade

No dia 17 em São Paulo na sede da Universal Music conversei com a talentosa e muito simpática Jehanne Saade. Saiba tudo o que ela me contou nesta bela entrevista.

Ao chegar para a entrevista fui recebido com muito carinho por Jehanne com um belo sorriso e um abraço caloroso. A conversa foi muito dinâmica e era evidente o brilho no olhar da cantora ao falar de sua carreira e seu trabalho.

A Música

Aos 11 anos em Nova Friburgo, o pai de Jehanne a deu um violão e ela autodidata, aprendeu a tocar. Ela me contou que em sua casa sempre teve música e que ela teve acesso à filósofos, bailarinos e outros artistas.

A artista que também já fez teatro teve aulas de música com Wilton Prado e um dia ao sair de uma balada conheceu um hitmaker que depois apostou em seu talento.

Após uma crise pessoal e profissional, a cantora começou a escrever canções. “Era um momento muito meu”. E nesse cenário que sua primeira música nasceu. A letra era toda em Francês, uma língua que a trás uma memória afetiva muito grande.

Seu violão foi seu companheiro em um momento em que ela se sentia desestruturada, despedaçada. Um momento regressivo em que havia uma busca por algo que a fizesse sobreviver. Para Jehanne música é vida e pulsa no coração e transmite emoção.

Influências

Perguntei a Jehanne quais são suas influências na música. A artista admira o trabalho de Tiê, Malú Magalhães e Tulipa Ruiz que conversam com seu disco “Exótica”, Ana Carolina, Maria Gadú, se inspira na MPB, no Tropicalismo e em Baby do Brasil (que admira no palco e como artista e mulher) e no Pop que está muito presente em seu novo trabalho.

Para ela o Pop manifesta bem a feminilidade, que segundo ela, está presente em todo mundo independente de gênero, através da intuição, da sensibilidade e no jeito amoroso com as pessoas.

Um sonho de Jehanne como artista é compor com Nando Reis. “Sua fala permeia o lúdico infantil e o romântico”.

Foto: Fernanda Vasconvelos Gouyou

Acrobacia e Intrépida Trupe

Jehanne Saade fez aulas de acrobacia, além de fazer parte da companhia de teatro Intrépida Trupe. Perguntei a ela qual a influência dessas experiências em sua vida e em sua carreira.
Para ela a acrobacia foi “algo incrível”. Jehanne tinha dificuldade em se concentrar e estudar, e a acrobacia ajudou em ter disciplina. “Era um momento de criação e de expressão do corpo” e onde ela se sentia livre.

Participar da Intrépida Trupe, foi muito importante para seu trabalho. O teatro faz enxergar as peças por cima, além de ajudar como alicerce cênico no palco.

Morada

Além de morar no Brasil, nossa querida cantora morou na França, no Libano, na Suíça e na Venezuela. Eu quis saber como foi a experiência de morar fora e como isso refletiu em sua vida e carreira.

Sua estadia na Suíça foi bem difícil por morar com uma família muito regrada e onde a mulher “não pode isso, não pode aquilo”. Percebeu que tanto lá como no Libano, a mulher tem que cumprir normas e condultas, com pouco ou sem nenhum dinamismo e sem precisar ter idéias fixas.

Na Venezuela a mesma música é recebida de forma diferente do que no Brasil, porém a música é vista com a mesma emoção. Já na França os musicais influenciaram muito sua arte, assim como os clássicos infantis franceses (da coleção de sua tia).

Je Né Veux Plus

No álbum “Exótica” ganhamos de presente uma faixa em francês, a primeira composição de Jehanne e eu quis saber mais sobre esta canção.

Sua letra foi escrita junto à melodia criada ao violão em cima de uma base e em tons menores. Ainda com uma fala presa foi para ela, “um encontro de coração para restabelecer” seu ser. A estética dessa música é mais simbólica e tem uma pureza, sem uma forma exata.

Sobre o seu processo de composição no geral, Jehanne tenta encontrar uma palavra que se encaixa na melodia e em sua emoção.

Exótica

Perguntei também como foi o processo de gravação e escolha de repertório para o disco “Exótica”.

O álbum nasceu em um momento difícil e foi um processo duro, angustiante e de perseverança. Algo muito bonito foi que as filhas de Jehanne acompanharam as composições da mãe e viram o processo de formação dessas canções.

O processo de gravação foi demorado e preciso. Toda quinta feira, a cantora estava em estúdio e participou de todo o processo de gravação e produção. Ela dançava suas músicas para ter certeza de que elas estavam como gostaria.

Havia um medo da recepção das pessoas ao disco, mas Jehanne tinha certeza de que era preciso realizar o seu trabalho e que estava no caminho certo. Muita gente desacreditava, mas ela não desistiu e sabia que “todo o artista passa por isso”.

Divulgação de “Exotica”

Fuego

Não podíamos deixar de falar sobre o novo single de Jehanne Saade, “Fuego”.

A faixa foi composta de forma muito precisa. Sua letra ficou pronta em duas horas e foram feitas três versões, na qual uma foi escolhida.

Sempre foi um sonho de Jehanne gravar um clipe no Líbano e ela deu sorte de cair nas mãos certas de seu gerente artístico Miguel, que foi muito importante para a realização desse sonho e soube entender muito bem o que ela queria.

Esse single é mais alegre e reflete a felicidade em dançar para seu público e passar suas mensagens para as pessoas. Além de contar com elementos eletrônicos.

Seguir Em Frente

Será que em algum momento Jehanne pensou em desistir? Ela contou tudo para a gente.

Por vários momentos passou pela cabeça da cantora desistir, pois o meio artístico é muito difícil e muitas vezes se baseia no senso comum. Além disso falta a regularização da profissão e quanto mais informal for a profissão mais chances dela dar errado.

Porém ela lembrou que “quanto maior o risco, maior é o sucesso” e percebeu que se sentia melhor fazendo o que gostava e que acreditava no que fazia independente do resultado. E tudo isso, junto a sua intuição não a deixou desistir de seu sonho. A música a faz se sentir viva.

Próximos Passos

Para finalizar perguntei quais são os próximos passos da carreira de Jehanne.

O álbum “Exótica” foi pensado como musical e a cantora planeja levar o disco para o teatro em um projeto mais intimista. Uma realização pessoal.

Além disso a artista continuará a produzir o seu novo álbum e criar novas músicas com uma produção internacional, bem como procurar investidores.

Outro projeto é expor seus quadros com fotos inspiradas em “Exótica”. E claro apresentar suas canções ao vivo.

Jehanne Saade é daquelas artistas que sabem o que querem e que ama e muito a sua arte e a música. Ver, através de seu brilho no olhar, o como ser artista é importante em sua vida, nos inspira a seguir nossos sonhos e nunca desistirmos.

Tudo isso junto a sua linda voz, seu carisma e músicas incríveis com ótimas letras e arranjos, fazem dela uma cantora para lá de especial. O Me Gusta tem certeza de que ela será sucesso nacional e aposto minhas fichas de que ela vai também conquistar o mundo.

Com Jehanne Saade após a entrevista

Texto e entrevista por André Rossanez

Me Gusta Entrevista – Saulo

Hoje à noite em São Paulo no Tom Brasil, o cantor Saulo vai se apresentar e ontem foi dia dele fazer uma apresentação exclusiva para fãs no Estanplaza Hotel. Depois o Me Gusta teve o privilégio de entrevistar o cantor para falar da Turnê “O Azul e o Sol”.

Muito simpático e gente como a gente, o carismático Saulo foi ao encontro de seus fãs e se sentou ao chão com eles para conversarem um pouco antes do show. Só depois é que ele foi se preparar para retornar e animar a todos com suas músicas.

Em um clima mais intimista, porém nem um pouco menos animado o show começou a voz e violão no palco improvisado. Saulo disse que era estranho tocar sem outros instrumentos mas que somente com violão era muito importante para aproximar ainda mais todo seu público a ele e para um local mais intimista e menor.

O cantou apresentou principalmente músicas do mais recente disco (‘O Azul e o Sol’) que trouxeram um clima de animação e amor no ar. A plateia se contagiou e cantou muito com Saulo ao som de ” Sol Em Festa”, Deixa Lá”, a empolgante “Terra Nossa”, a incrível “Ancestral” que resgata a cultura afro e a Bahia, “De Repente Mente”, “Mó” e “A Gente Leve”.

E claro, também cantou seus maiores hits como ” O Mundo Estava Em Guerra”, “Preta”, ” Singela Bruta” e “Rua 15” que quem vos escreve adora tanto. Foi lindo ver ele cantando as músicas que seu público pedia ali na hora e o ver dedicando canções a vários de seus fãs.

E claro não faltaram as faixas da época do artista no vocal da Banda Eva. Todos cantamos e muito junto a ele as saudosas “Só Eu E Você”, Diz Que Vai Voltar”, ” Toda Linda”, ” Não Precisa Mudar” e “Nosso Amor É Lindo”.

É lindo ver um artista como Saulo no palco. Além de cantar muito e com afinação impecável, ele tem muito carisma e consegue passar todo amor que sente pela música e por seus fãs. É bárbaro ver a proximidade que ele tem ao seu público, sempre sendo carinhoso, gentil e inclusive sabendo o nome de variosxde seus admiradores.

Confira na íntegra a entrevista que o Me Gusta fez com ele. Garanto que você vai adorar…

A Entrevista Exclusiva

Me Gusta: O que podemos esperar de sua turnê?

Saulo: “Leveza e muita percussão alta que eu gosto muito. Mas é um show de amor à palavra, sabe? Esse disco é um álbum de texto, livro de música. São textos que viraram canções. Então todo o show é através de palavras. Tem um negócio de um silêncio visual, a gente não tem led, não tem projeção. É de luz, sombra e espelho. Eu acho que as pessoas vão se divertir muito porque é um show de música da Bahia, de Axé Music, então tem aquela coisa de ‘tá chegando o Carnaval, Fevereiro’. Tem a lembrança de cantar aquelas canções do Carnaval. É uma festa, um show de quase 4 horas de duração”

Me Gusta: Como foi o processo de escolher as faixas do disco ‘O Azul E O Sol’ que estariam no show? E as outras?

Saulo: “É difícil. O processo é assim. A gente reproduz o disco no show. Só que com o tempo senti a necessidade de enxertar coisas dos outros discos e aí é muito complicado. Fui através do texto. Por exemplo, se eu falo de encontro aqui eu pego alguma coisa que fala de encontro. Se estou falando de Alegria, pego alguma conexão. Então eu tentei fazer isso. Aí vem ‘Lugar de Alegria’, ‘Singela Bruta’ e ‘Encontro Marcado’ que são canções de outros discos que estão no repertório”

Me Gusta: Como.você vê sua relação com seus fãs?

Saulo: “Desmistificada. Não existe aquele cara do palco grandão, artista importante. ‘Foda-se isso’. A gente tá compartilhando um sentimento bom que a música trás. A gente tá tentando mudar o mundo com isso. A gente tá fazendo uma espécie de exércitozinho assim, sabe? Tem o líder? Tem. Alguém que tem uma voz que vai falar por todo mundo. Pode ser eu? Pode. Mas eu não me sinto diferente de ninguém. Eu me sinto comunicador de algo muito maior que é a música”

Me Gusta: Como você vê o Axé e a música brasileira atuais?

Saulo: “O Axé, acho que a gente tá produzindo muito, mas o Sistema Axé Music tá meio sei lá. Tem muita coisa, são 30 anos de Axé Music, acho que já deu muita coisa. Mas lá em Salvador, na Bahia se produz muito o tempo inteiro. A questão é que se reduz o Axé á música de Carnaval, mas a música da Bahia está acontecendo muito grandiosamente. ‘Bahiana System’, ‘ÀttoxxÁ’, tem várias coisas acontecendo. E eu tô fazendo Axé, insistindo no que eu gosto, é minha formação. Algumas pessoas dizem que até meu repertório é de alguma maneira um pouco velho, soa um pouco antigo porque tem um pouco dos anos 80 e anos 90. Mas essa é a música que eu gosto de fazer. E a música brasileira atual, acho que é mais americana do que brasileira. A gente tá reproduzindo muita coisa gringa. A gente tem tanta riqueza aqui. A gente tem Elba Ramalho, Gal Costa, Maria Bethânia. E a gente imita Beyoncé, Rihanna. Viva a música brasileira!”

Me Gusta: Como se dá o seu processo de composição?

Saulo: “Eu gosto muito de escrever textos. Por exemplo eu vou subir agora pro quarto, talvez eu até escreva um texto. Eu gosto de exercitar isto. Tenho muitos parceiros. E ultimamente as coisas estão surgindo a partir dos textos. 80% desse repertório do disco são textos que viraram canções.  Mas o processo de composição acontece a qualquer momento, já fiz canção em silêncio profundo, mas já fiz canção em um quarto cheio de gente. Acho que compor é captar, é você estar atento o tempo inteiro para captar coisas que não são nossas. Alguém detém esse poder da música. A gente só tá aqui captando e sendo comunicador”

Me Gusta: O que poderia adiantar de seus planos para 2018?

Saulo: “Rapaz, eu quero compor muito. Pra mim, eu compondo, a vida tá boa. Se o show da turnê correr, estiver ensaiado, bonitinho a gente vai fazer mais uns sete lugares daqui pra frente. Se ele correr bonitinho, estiver afiado talvés eu faça um DVD desse trabalho, desse show que é tão bonito. Só vou fazer DVD se tiver bem bonito, afiado. Porque é muito difícil. Um show só vai ficando bom no quarto ou quinto. A estreia foi em Aracaju, foi tensa, a gente tentando acertar as coisas. Mas tem um pré planejamento para um DVD”

Me Gusta: Após tanto tempo de carreira quais sonhos gostaria de alcançar?

Saulo: “Já alcancei prêmios bem bonitos. Já dividi o palco com meus ídolos Guiguio, Pierre Onassis. Tem também os compositores com quem eu aprendi a escrever. Tenho a parceria com Ivete e Maria (Gadú) que é uma delícia e a gente adora fazer. Não sei, talvés cantar com o Djavan. Gosto tanto de Djavan. A gente já se encontrou em algumas situações, mas a gente nunca cantou junto. Esse é um sonho bonito e que pode ser real. Mas o meu maior sonho é ver meus filhos legais, com cabeças boas e eu continuar com cabeça boa para compor”

Me Gusta: O que você diria para os artistas que estão começando sua carreira?

Saulo: “Que sejam verdadeiros. Podem lhe ofertar o mundo, mas não venda sua alma, seja verdadeiro. Não se parametre pelo outro. Tenho tatuado na minha mão ‘Siga’. Siga, não olhe para o lado, faça o seu, crie o seu. Tenham cuidado. Existe uma coisa chamada responsabilidade artística, que é muito importante. Antes de ser artista veja o que é isso, porque você vai falar para um monte de gente, então se capacite primeiro. E arrisque. Arrisque. Porque a arte é se arriscar sem medo”.

Eu com Saulo após a entrevista

Entrevista e texto: André Rossanez

Me Gusta Entrevista – Pedro Batístella

O Me Gusta teve a felicidade de conversar no Sábado (23/09) com uma grande revelação da música brasileira, o talentoso e carismático cantor e compositor Pedro Bastístella em São Paulo. Falamos sobre carreira, inspirações e claro, sobre o novo trabalho do artista, o disco ‘Lúcido’, um álbum que me conquistou e que tenho certeza que irá te conquistar também.

A música na vida de Pedro

O avô de Pedro tinha um bar (Via Brasil) onde rolava música ao vivo, além de a música fazer parte da rotina da casa do artista. Após sair de Santa Catarina, onde morava, e voltar para o interior de São Paulo, Batístella começou a fazer parte de coral e a fazer teatro. Aos 17 anos em São Paulo gravou alguns covers com Marcelo Mira (Alma Djem), além de fazer aulas de canto e atuar em coral, até que se sentisse seguro para levantar vôo. Contou também com o apoio do grande produtor Fernando DeepLick.

Outra experiência que Pedro nos contou foi quando após escrever suas primeiras músicas (em inglês) e fazer intercâmbio, foi a Londres gravar com a talentosa Macy Gray, porém a parceria não deu certo por questões burocráticas e então não foi lançada, o deixando muito frustrado.

Inspirações musicais e composição

Perguntamos ao Pedro em quais artistas ele se inspira. Ele disse que curte muito Marisa Monte, Elis Regina, o cantor Seal que tem uma grande potência vocal além de ter um “look legal” com um “visual cool”, a Pink que canta e compõe muito bem e Joss Stone que é muito espirituosa e pé no chão e que ele já teve a honra de conhecer. Pedro revelou que os estilos musicais que compõem seu som são a MPB e o Pop com influência clássica e um pouco de música eletrônica.

E como se dá o processo de composição de Pedro? Bem, o processo acontece de muitas maneiras e em diversos lugares. Pode acontecer na praia, ao comer, em casa e até no chuveiro. Para Batístella, escrever é a forma “mais fácil de traduzir o que sente” e conhecer outros cantores serve de incentivo para encontrar o “caminho certo”.

No começo as letras do artista eram mais tristes e introspectivas e hoje em dia são mais jovens e de acordo com a idade dele. Contou que escreveu três faixas inéditas (em uma semana), que vão entrar em seu repertório de shows e que elas são felizes, para frente e mais jovens e dançantes.

‘Recomeçar De Vez’ e parceria com Roberta Campos

No disco ‘Lúcido’, Pedro Batístella contou com a participação mais do que especial de Roberta Campos na linda faixa ‘Recomeçar De Vez’. Após receber a canção, a cantora que Pedro sempre admirou, disse que a iria gravar, pois se identificou com sua mensagem. Segundo Roberta, esta música refletia o momento em que vivia e soava de forma verdadeira e muito honesta, uma das mais honestas que já ouviu.

‘Recomeçar De Vez’ fala sobre ele mesmo a partir da análise de tudo que Pedro já fez de errado e de certo e das dificuldades que passou. É um “hino de alta estima” e desperta nas pessoas a garra para seguir em frente e tomar novos ares após passar por situações difíceis e ficar no “fundo do poço”. Um incentivo para se reerguer, resgatar a alta estima. E não necessariamente fala sobre recomeçar após o fim de uma relação amorosa. É sobre o recomeçar após qualquer tipo de percalço e problemas (relação abusiva, doença, decepção com um amigo etc).

Publicidade

Pedro Batístella é formado em Publicidade e quisemos saber dele se de alguma forma isso contribuiu para sua carreira de cantor e como artista. Contou que serviu para ele abrir os olhos ao mundo onde tudo é publicidade e há muitas coisas a serem mudadas, e assim ficar mais experto quanto à criação de necessidades que não são verdadeiras e que o mundo publicitário cria, induzindo às pessoas a terem inseguranças desnecessárias.

O fez entender melhor a psicologia e a filosofia. No disco novo não há nenhuma influência da área, porém nas músicas novas ele usou a experiência no sentido de abrir os olhos para o mercado musical que tem apelo comercial e músicas chicletes, claro sem perder a visão artística e qualidade musical.

Processo de gravação e escolha de faixas para ‘Lúcido’

O álbum ‘Lúcido’ foi todo feito sem ajuda para captação de recursos e levou um ano para ser gravado. Além de economizar, o cantor conseguiu recursos vendendo coisas pessoais. Ele queria que o disco tivesse a sua cara refletindo o momento em que vivia e ele queria ser extravagante realizando sua vaidade artística e priorizando sua inspiração e o que era importante para ele em seu trabalho.

A mixagem do disco foi feita por Dave Reitzas (‘Thriller’ de Michael Jackson) e perguntamos a ele como surgiu essa parceria. O artista contatou e enviou seu material para Dave e foi muito sincero, dizendo que não tinha recursos, mas que queria muito trabalhar com ele. Para surpresa de Pedro, a resposta chegou em duas horas. Reitzas telefonou e disse que adorou as influências de violino que suas músicas tinham e que aceitava atuar na mixagem. No mês seguinte, Pedro viajou e foi ao estúdio, o qual amou. Nele havia muitas fotos da história do estúdio e vídeos do processo de gravação de ‘Thriller’ do Michael Jackson. Foi muito enriquecedor. Para Batístella, Dave levou o disco a outro nível e foi presente de corpo e alma no processo de mixagem, levando o trabalho para o caminho desejado. Pedro ficou muito orgulhoso, feliz e satisfeito com o resultado do disco que foi feito com base em seu próprio trabalho e esforço.

Ao todo o disco tem oito faixas e perguntei a ele como foi o processo de escolha do repertório. E o que ele contou foi incrível. O número de músicas tem a ver com numerologia e também com os chakras (cada faixa se refere a um deles). A primeira representa o chakra vermelho (da base, da raíz) e a segunda o chakra laranja (criação de vínculos). A terceira música aborda o homem e a mulher, a quarta representa o chakra do coração, a quinta é sobre expor o que se sente de forma honesta e a sexta tem referência a mitologia grega e as fiandeiras que conduzem o tempo de vida das pessoas e  que nem Zeus (o maior dos Deuses) consegue controlar e a sétima fala sobre seguir a intuição. Já  a última canção fala sobre o recomeço após o fim de um ciclo.

Até o encarte tem um conceito incrível. Vemos uma árvore criada por Tereza Bettinardi (responsável pelo projeto gráfico e capa) e ela representa todas as etapas do disco pelas oito músicas. Ela tem sua raiz e vai crescendo até que após dar frutos, gera a semente que representa o recomeço de tudo. Uma analogia linda, assim como a das canções que compõe ‘Lúcido’.

PEDRO BATISTÉLLA Foto: Leo Martins
Foto: Léo Martins

‘Francis K’

Uma faixa que chamou muita atenção por sua letra, sua mensagem e por ser tão atual foi ‘Francis K’, onde ‘Francis K’ pode ser menino, menina e se veste conforme sua identidade de gênero ou por estilo, gosto. A inspiração surgiu após Pedro conhecer o maquiador  Guilherme Chapina que falava de forma muito natural sobre sua sexualidade e que sabia como era se sentir diferente. A música não fala apenas sobre transexualidade e drag queens, aborda também a mulher, o gay e a lésbica e sobre o direito de você se vestir e se portar conforme se sente bem, se identifica. Para ele é mais do que uma mensagem de empoderamento, é sobre a identidade de cada um que se forma de forma natural, bem como a sexualidade.

‘Todo Dia’

A música ‘Todo Dia’ tem uma letra que conversou comigo desde a primeira audição. Me senti como se tivesse ouvindo uma história que já vivenciei em algum momento da vida. E ao perguntar a Pedro Batísttela como ela surgiu, fiquei mais identificado com ela.

Ao escrever a canção, o artista se inspirou em um relacionamento amoroso que ele teve e que durou apenas uma semana. Nesses dias, ele ficou na casa de seu amor, vivendo a dois em uma rotina onde saiam apenas para fazer compras. Uma faixa que conversa com qualquer pessoa apaixonada, em começo de namoro. Uma fase onde se idealiza a outra pessoa, sem ver nem os defeitos dela. Pedro disse que é uma música leve, apaixonante, sensual e quente.

Divulgação do disco

Pedro Batístella me contou que a s pessoas estão muito receptivas ao disco novo e que isso também se deve ao pessoal que o ajuda e o acompanha. Para divulgar o trabalho, ele já participou de programas de TV e continuará a aparecer na telinha. Agora começará a divulgação nas rádios, o que o deixa muito animado, uma vez que a rádio diminui a distância entre as pessoas através de sua música. Pedro espera que com a execução nas rádios, as pessoas se aproximem e que o ouçam com mais constância. Também o cantor vai focar no ao vivo e já prepara o repertório de seus shows.

Sonho como artista

Perguntei a Pedro, qual seu maior sonho ou meta como artista. Ele me disse que é ser feliz com o que está fazendo e poder transmitir para o maior número de pessoas. Também revelou contou que está realizado com seu trabalho e sua música.

 

Pedro Batístella é daqueles cantores que se entregam de corpo e alma ao cantar e ao falar de sua paixão pela música. Um cara muito pé no chão e batalhador, que não desiste de seus sonhos e do que acredita. Durante a entrevista vi o brilho de seus olhos ao falar de sua carreira e sobre sua arte, mostrando como é um artista entregue, sensível e que ama o que faz. Além de tudo sua voz é linda e única. O Me Gusta tem certeza que a música de Pedro Batístella vai inspirar e emocionar muitas pessoas e será sucesso pelo país. É só o começo de uma linda e brilhante carreira.

me gusta entrevista
Com Pedro Batístella após a entrevista

Me Gusta Entrevista – Perí

O Me Gusta teve a oportunidade de conversar na quarta-feira dia 5 com o cantor e compositor Perí na Fnac da Avenida Paulista em São Paulo. Muito gente boa, ele me recebeu com muito carisma e simpatia.

Antes de fazer a primeira pergunta o cantor já me contou que gostava muito de falar sobre seu trabalho e se mostrou muito à vontade e contente em poder falar de sua carreira.

Minha primeira curiosidade foi em saber como surgiu seu amor pela música. Ele contou que começou a cantar aos 9 anos profissionalmente e que foi sempre incentivando pela família. Após saber de um teste para entrar em um coral de um grupo austríaco, ele conseguiu a vaga com 10 anos de idade. Já o teatro apareceu no final da faculdade após ver no jornal um anúncio para o primeiro grande musical no Brasil, no qual garantiu sua vaga.

Sobre o seu processo de composição, Perí hoje em dia costuma escolher um tema e começar a escrever, até “saturar a lixeira”. Para ele quando a lixeira está cheia é um bom sinal, pois mostra que depois de tanto tempo conseguiu escrever uma boa música e que o seu medo da crítica está bem baixo.

Sobre suas inspirações, elas vêm do momento que ele compõe através daquilo que está vivendo. Para seu mais recente disco a inspiração foi o centro de São Paulo, onde viveu intensamente nos últimos tempos.

O Me Gusta não podia deixar de falar com Perí sobre sua passagem pela banda Nove Mil Anjos (com Junior Lima, Peu e Champignon). Ele me disse que ” se está aqui hoje foi por passar por lá” e que foi uma época muito importante para sua carreira. A visibilidade do grupo o fez conhecer muitas pessoas e aprender com os erros e os acertos. Foi muito marcante para ele ter tido um celular da Nokia com conteúdo exclusivo da banda e que foi um estouro em vendas de 2008 a 2011. Também revelou que a amizade com Junior Lima permanece até hoje.

Com a banda Perí aprendeu a entender melhor a profissão de músico e como ser um profissional melhor. Foi a base para depois recomeçar quase do zero.

‘O Mar Atravessou A Rua’, o novo álbum de Perí, retrata o centro de São Paulo e a ideia surgiu pela necessidade do cantor de se reaproximar dele mesmo, que passando pelo centro da cidade teve contato com “as pessoas do dia a dia e que sabem o preço real das coisas”. Tudo isso surgiu de sua revolta interna e existencial junto ao cotidiano caótico de São Paulo, uma cidade cheia de diversidade onde se encontra o mundo inteiro.

O novo trabalho foi dividido em duas partes principalmente por terem muitas músicas e as faixas da segunda parte são mais conceituais e as preferidas de Perí estão na primeira.

Uma cantora que todos nós admiramos e que Perí teve a honra de fazer parceria foi Rita Lee. Aconteceu pois sua amiga era backing vocal da roqueira e assim ele pôde acompanhar o trabalho da equipe durante um show no Rio de Janeiro. Conheceu Rita Lee e depois de um tempo ela estava compondo a faixa ‘Eles Amam As Loucas” que não tinha ainda terminado e pediu para que ele terminasse.

Ao ser perguntado sobre seu sonho como artista, Perí contou que deseja ter sempre a “capacidade de agregar na vida de muita gente”. Ele quer também ser visto como alguém que “tá aí”, teve vivência e ser respeitado por sua história através do tempo. Ressaltou a importância de achar o caminho certo para ser útil através de sua música e o desejo de cantar na TV e em festivais.

Aproveitei para saber as maiores referências da música para ele. O artista contou que vem acompanhando as batalhas de rimas de MCs e que as suas inspirações nessa área são Sid Mc (para ele a expressão pura do que é fazer rima), o MC BMO (que com 14 anos já é muito talentoso) e MC Vick (grande representante das rodas de rimas de São Paulo). Também tem como inspiração Lenine, Mano Brown e Chico Buarque. Admira Pitty que faz uma música em seu próprio tempo, além de Daniela Mercury e Ivete Sangalo que fazem suas próprias artes e não deixam barato, afirmando aquilo que acreditam. Na parte de Business, disse que Kiko do Megadeth é uma meta a seguir, além de ser uma grande inspiração artística.

Duas faixas de seu novo projeto me impactaram bastante e conversamos sobre elas. ‘Motorista Do Bus’ para ele conversa com um povo que sabe que ninguém é bobo e que briga pelo que acha certo. É uma faixa que foi feita após o cantor presenciar o relato de uma mulher que não chegou a tempo no trabalho devido a um tiroteio e através de conversas de um cobrador de ônibus. Esta música foi feita para dar voz às pessoas e aos seus pontos de vista, além de incentivá-las a não parar de lutar.

Já ‘Soul Vive’ é um pedido por educação e condições básicas, como saúde e saneamento básico. Ele comentou que todos somos vítimas e que para mudar a situação política do país, é necessário antes que repensar a Constituição.

O novo single de Perí é ‘Corações Em Nuvens Distantes’ e foi inspirado no grupo Favela Vip que faz as chamadas ‘Story Telling’ (contar histórias através de sua arte). Sua composição ocorreu após o artista ver uma menina no Vale do Anhangabaú que estava com sua pasta de trabalho e foi enquadrada de forma machista e forte, de um “jeito que nunca se faz nem com um bandido”.

Os próximos passos de Peri é continuar divulgando seu novo projeto e depois montar a sua agenda de shows e assim levar sua arte às pessoas ao vivo e “reencontrar a galera”.

Nossa conversa foi muito produtiva com olho no olho e muita sinceridade. Perí é um artista que ama o que faz e mostra no olhar todo seu amor pela música, além do respeito e carinho pelo seu público.

Com Perí após a entrevista

Me Gusta Entrevista – Clau

O Me Gusta teve o prazer de conversar pessoalmente nessa Quarta-feira, na sede da Universal Music de São Paulo, com a talentosa Clau, a nova aposta do Hip Hop e do R&B brasileiros.  Fui muito bem recebido por Clau com um lindo sorriso e brilho nos olhos, o mesmo brilho que vi durante toda a entrevista enquanto ela falava de seu trabalho e sobre música, sua grande paixão.

Nossa primeira pergunta foi bem básica, mas que sempre gostamos de saber sobre nossos artistas queridos. Perguntei como surgiu o amor pela música e Clau me contou que esse amor surgiu por ela mesma, sem incentivos. Desde criança adorava desenhar, dançar, tudo relacionado à arte. Alem de cantar ela também compõe e suas inspirações na hora de escrever são diversas, desde seus sentimentos, sua visão de vida, situações que vive até mesmo uma batida que a inspira. Seu primeiro single ‘Menina De Ouro’, inclusive surgiu através de uma batida. Ela me contou também que na hora de compor também leva em conta a mensagem que quer passar para as pessoas.

Sobre a maior dificuldade na carreira, Clau contou que foi a de ‘existir uma carreira’. Em Passo Fundo, sua cidade natal não havia exemplos de pessoas que cantavam e que tiveram a oportunidade de fazer sucesso. O jeito que ela conseguiu de mostrar seu talento foi o You Tube. Ela sempre teve muita vergonha de cantar em público e começou a vencer essa barreira postando seus covers na rede e assim as pessoas começaram a acompanhá-la e ela percebeu que as pessoas enxergavam o seu talento e gostavam de ouvi-la cantar.

Perguntei como era para ela tão jovem começar a fazer sucesso. A cantora me disse que nunca tinha imaginado isso e que aconteceu de surpresa. Ela sempre seguiu sua intuição para tomar decisões de carreira e seguir seu caminho até que apareceu a oportunidade de poder se lançar junto a Universal Music. Sobre pensar em desistir de cantar, Clau já passou por isso em muitos momentos por achar que aquilo não era para ela, que estava sonhando muito e que devia se contentar com coisas que já tinha. Porém sua intuição mostrava que cantar era o que amava fazer e o que queria para sua vida e que era isso que ela tinha que fazer, sem desistir.

O single ‘Menina De Ouro’ foi inspirado na competição consigo mesma “para se superar a cada desafio que o mundo coloca” e sua letra foi escrita também pensando na dança e na coreografia que ela já tinha em mente.  Sobre o clipe da faixa, foi pensado de uma maneira em que pudesse ser gravado em plano sequência e que mostrasse a força de sua coreografia e que refletisse a força da mensagem que a música passa. Aproveitei para saber o que ela tinha a dizer sobre o empoderamento feminino. Ela foi franca e disse que é algo muito importante de se transmitir em canções e de salientar. A cantora ressaltou a importância das mulheres se identificarem uma com as outras e de serem inspiradoras e mostrarem poder e ousadia sendo seguras de si.

Eu curioso, quis saber como foi para ela quando gravaram pela primeira vez uma composição dela. Clau contou que foi uma surpresa, algo que nunca tinha imaginado, ainda mais tendo sido gravada por um grupo que sempre gostou, o Pólo. A canção foi a faixa ‘Overdose De Amor’, escutada pelo conjunto no celular do produtor Pedro Dash. Foi muito importante por ser a primeira vez que ela percebeu que alguém podia gostar de suas letras e que elas podiam ser usadas por outros artistas.

Eu quis saber dela com quais artistas ela gostaria de dividir o palco. Ela contou que Beyoncé serve muito de inspiração para ela como cantora e também como pessoa e da maneira em que conduz sua carreira e que seria ótimo cantar com ela.  Também gostaria muito de fazer dueto com Ed Sheeran e com o Criolo, uma grande referência do RAP nacional e por sua musicalidade.

E o que Clau pode adiantar sobre seu primeiro disco pela universal? Ela contou que ainda vai lançar singles e clipes, como por exemplo a faixa ‘Não’, que fala sobre autoconfiança e de não deixar ninguém  interferir em sua vida. Além de adiantar que podemos esperar duetos. Depois de trabalhar suas faixas, ai sim será lançado o disco e virão shows por aí.

Para finalizar pedi para Clau contar o que gostaria de dizer para as pessoas que estão começando sua carreira. Ela disse que não se deve desistir e que é importante além de dizer ‘Sim’, dizer ‘Não’ quando necessário e para aquilo que não concorda ou não acredita. Incentiva também que o artista se aprimore ao máximo e que vá atrás de seu sonho enxergando valor no que faz. E que sendo verdadeiro, alguém vai se identificar e vai gostar de seu trabalho.

IMG_20170621_180038_011
Eu com a Clau após a entrevista

Foi muito bonito ver uma cantora tão jovem e talentosa mostrar tanto amor por sua arte e maturidade para seguir sua carreira. Seu brilho nos olhos chamou muita atenção e mostrou o como Clau ama a música é como e verdadeiro tudo o que ela faz. Com certeza a cantora terá muito sucesso e vai inspirar muitas pessoas com suas mensagens e sua arte pelo Brasil a fora.