Ray Of Light 20 Anos

Há 20 anos era lançado um dos álbuns mais aclamados da carreira de Madonna. Após um começo de década onde cantou sobre liberdade sexual e empoderamento feminino, a cantora se reinventou com um disco cheio de caráter pessoal e reflexões lançado em 3 de Março de 1998.

A maior diva pop de todos os tempos, tinha acabado de ter sua primeira filha, Lourdes Maria, e entrado para o mundo da Kabbalah. Isso se refletiu e muito em seu sétimo álbum “Ray Of Light” com produção de William Orbit, um dos grandes nomes da cena eletrônica da época pela Maverick Records Warner Bros Records.

Para compor a parte visual do disco, Madonna se inspirou em diversos estilos e culturas, criando vários personagens através das roupas de Steven Meisel. Além de apostar no visual com a beleza bem limpa e com cabelos mais ao natural.

A produção discográfica trouxe ao trabalho da artista músicas essencialmente eletrônicas com batidas leves e etéreas, que trazem algumas misturas com o Pop e até com as músicas indiana e clássica. O primeiro single foi “Frozen”, uma baladinha eletrônica com muitas camadas (pouco utilizadas na época). Para mim a faixa me dá a sensação de algo épico.

A primeira música do disco “Drowned World Substitute/For Love” celebra a chegada da filha e do amor que a tirou do mundo das celebridades e da futilidade. Também destaque para “Shanti/Ashtangi” escrita em sânscrito, “The Power Of Goodbye” sobre uma relação com amor e poder e “Nothing Really Matters” totalmente autobiográfica. Dando título ao álbum “Ray Of Lght”, tem uma pegada eurodance com riffs de guitarra, sendo uma das faixas mais empolgantes.

Capa de “Ray Of Light”

Uma das melhores canções é “Little Star” que tem uma instrumentação muito bela junto a batidas eletrônicas e traz a voz da cantora de uma maneira mais leve. Quase como se estivéssemos sendo levados a um transe.

Ao todo, o disco vendeu 18 Milhões e 720 mil cópias no mundo todo, sendo um pouco mais de 4 Milhões nos Estados Unidos. Até então era o disco mais vendido da Rainha do Pop.

Com capa trazendo foto do peruano Marik Testino, treze faixas e uma reflexão sobre a solidão, a maternidade, o amor e a fama, este CD vendeu 3 Milhões de Cópias em apenas 18 dias, sendo sucesso de crítica e público. Rendeu também 4 prêmios Grammy, um deles de Melhor Álbum Pop.

Segundo a Revista Slant, ‘Ray Of Light’ é “uma das maiores obras-primas pop dos anos 1990″ e ” suas letras são simples, mas sua declaração é grande”. Já David Browne do Entertainment Weekly disse “Madonna tem sido mais relaxada e menos superficial do que tem sido nos últimos anos”.

Gravado em Hollywood nos estúdios Larrabee North Studios de Julho à Dezembro de 1997, sem dúvidas este álbum trouxe inovação na carreira de Madonna, conquistou novos fãs e trouxe uma bela mensagem para o mundo todo. Não é à toa, que é um dos favoritos por muitos dos súditos da Rainha até hoje, após tanto tempo.

Um disco totalmente atemporal, com um alcance vocal maior de Madonna, resultado de suas aulas de canto para o filme “Evita”. Um clássico que não pode faltar em sua coleção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s